Diferencial competitivo na retomada – 3ª Parte

De forma geral, momentos de crise como o que estamos vivendo costumam provocar inúmeras mudanças em nossas vidas. Se olharmos para a história eventos como a peste negra e a Segunda Guerra Mundial, entre outros, geraram mudanças que impactaram profundamente a sociedade. Ainda não sabemos ao certo os efeitos da crise, mas precisamos estar preparados para vencê-la. Cuidados com higiene e saúde, equilíbrio entre profissão e família, crescimento do trabalho remoto e de hábitos digitais estão entre as possíveis mudanças. Também precisamos estar atentos com as disrupções industriais que impactarão diretamente os negócios na área de bebidas. Uma coisa é certa, precisamos ser diferentes mais do que nunca para sermos relevantes e atrair a atenção de nossos consumidores.

Perguntamos aos executivos: Quais fatores podem significar um diferencial competitivo nessa retomada? A tecnologia, a digitalização e a Indústria 4.0 podem contribuir nesse sentido? Que lições ficam para o futuro? Acompanhe os comentários.

As empresas que ao longo dos anos conseguiram construir uma parceria sólida, um relacionamento transparente, estão hoje mais preparadas para enfrentar o futuro

Hermínio Ficagna, Diretor Superintendente • Vinícola Aurora

O mundo já caminhava para uma revolução tecnológica, cada vez mais aperfeiçoada e presente nos negócios do dia a dia. Agora, neste cenário do coronavírus, mais do que nunca, as pessoas – mesmo as mais leigas – se readequaram ao uso dos meios digitais para buscar informações rápidas e claras sobre os produtos. As empresas que não enxergarem a necessidade de se modernizar com a inteligência artificial terão muito mais dificuldades de enfrentar as mudanças que o planeta irá sofrer após superar esse estágio do vírus.

A Aurora construiu uma equipe de gestores ao longo do tempo que está em plena sintonia para visualizar alternativas de readequação nas eventuais mudanças necessárias, desde o processo produtivo até a colocação do produto no mercado, bem como buscar novas opções e oportunidades em razão das mudanças de comportamento, hábito e perfil dos consumidores.

Mesmo com todos os cuidados de um planejamento de curto, médio e longo prazos, em situações atípicas como essa, percebe-se que nunca estamos preparados o suficiente. As empresas que ao longo dos anos conseguiram construir uma parceria sólida, um relacionamento transparente, estão hoje mais preparadas para enfrentar o futuro.

A grande lição é que é possível fazer o mesmo, com menos recursos,
de forma mais eficiente e sem
estarmos fisicamente presentes

Fausto Padrão, Gerente de Engenharia • Coca-Cola Andina Brasil

A tecnologia sempre será um diferencial competitivo para as empresas, e nesta crise não será diferente. Ela representa uma melhor eficiência nos processos, e processos mais enxutos serão fundamentais para a sobrevivência das empresas nesse período da pandemia. Quanto à digitalização é certo que o aumento das incertezas do mercado e a necessidade de enxugamento de processos fará com que todos passem a utilizá-la cada vez mais nos processos e na geração de dados de qualidade.

Ficamos surpresos com os vários aprendizados que esta crise nos proporcionou, e com o fato de serem aprendizados que ocorreram em toda a empresa, para todas as equipes, em todos os departamentos. São muitos, mas de forma genérica, a grande lição é que é possível fazer o mesmo, com menos recursos, de forma mais eficiente e sem estarmos fisicamente presentes. Pode parecer simplório, mas destes aprendizados estão nascendo grandes transformações em nossos processos e estruturas.

Teremos que fazer mais com menos, e todas as iniciativas que tiverem esse viés serão bem-vindas

Jeferson Caus, Gerente Comercial Agrária

Toda a tecnologia que trouxer produtividade, eficiência e competitividade será valorizada ao máximo e terá seu espaço garantido. Teremos que fazer mais com menos, e todas as iniciativas que tiverem esse viés serão bem-vindas.

Estamos focando em produtos e serviços base e que levem competitividade aos nossos clientes. O processo de digitalização acelerou e muito no atual cenário. Evoluímos 10 anos em 1, não por vontade, mas por necessidade. O que é um aprendizado e uma oportunidade gerada pela pandemia.

Estamos nos aperfeiçoando e treinando outros níveis da empresa para estarem sempre de olho
na performance das áreas

Francisco Magalhães da Rocha,
Presidente • Refrigerantes Psiu

Uma lição fundamental que tive nessa pandemia foi a diferença entre Saber e Aprender na Área Financeira. Numa Live da Fundação Dom Cabral, o Professor Rodrigo Zeidam proferiu a seguinte frase : ” Receita é Ego! Lucro é Sonho! O importante é o Caixa!”. Na teoria eu “sabia” mas, com a Pandemia, eu “aprendi”. Partimos para uma Gestão de Caixa mais acertada. Estamos em negociações com bancos visando aumentar nosso “colchão ” para enfrentarmos este futuro ainda escuro. Mas estamos confiantes e alertas quanto aos dados de mercado e internos, como Informes diários, acompanhamento criterioso da inadimplência, análises diárias de tendências e, principalmente, do fluxo de caixa. Estamos nos aperfeiçoando e treinando outros níveis da empresa para estarem sempre de olho na performance.

A capacidade de análise para tomar melhores decisões será fator determinante para se adaptar
aos desafios futuros

Roberto Giampietro, Diretor Geral • KHS

A produtividade e redução de custos que sempre estiveram na agenda das empresas disputando espaço com os outros tópicos nos negócios do dia a dia, agora devem ser priorizadas. Tecnologias e serviços que ajudem as empresas nessa direção serão muito valorizadas.

Entre outras coisas, a digitalização nos trouxe uma quantidade enorme de informação disponível, extrair conhecimento prático dessas informações através da análise é um dos maiores desafios nos dias de hoje. A capacidade de análise para tomar melhores decisões será fator determinante para se adaptar aos desafios futuros.

A tecnologia já é um grande diferencial e na retomada ela será ainda mais importante para consolidar os aprendizados conquistados

Aline Telles Chaves, Vice presidente de Operações • Grupo Telles/Naturágua

A tecnologia já é um grande diferencial e na retomada ela será ainda mais importante para consolidar os aprendizados conquistados. Todas as ferramentas de treinamentos online, home office e vendas online serão mantidas e fortalecidas. Creio que o Covid-19 ajudou a priorizar nossas ações para o que realmente importa. A digitalização não apenas ajuda a repensar e se adaptar ao futuro, ela é hoje a base para as operações. Essa pandemia vai nos deixar várias lições, entre elas: adaptar as práticas comerciais para um consumidor online, que compra e pesquisa os produtos no ambiente digital; a equipe pode e deve ter mais flexibilidade com o home office, pois a qualidade do trabalho não é afetada e uma terceira lição é que precisamos cuidar das pessoas, não apenas de nosso público interno, mas sobretudo o externo. Enquanto empresa somos privilegiados de recursos e conhecimentos e podemos ser uma rede fortalecedora de nossos parceiros e comunidade do entorno, partilhando mais nosso saber e nossos produtos.

É importante apoiar os pequenos produtores e os produtores locais

Aloisio Xerfan, CEO • Blondine Bebidas Artesanais

O foco de compra do momento está em “bens de consumo – alimentos e bebidas” outras categorias não prioritárias não estão no momento em decisão de compra devido até a falta de oportunidade de uso, tendo em vista as pessoas em casa. É importante apoiar os pequenos produtores e os produtores locais.

Temos um grande desafio de planejar um cenário incerto que não sabemos o que irá ocorrer, quando irá ocorrer e, portanto, é um planejamento de longo prazo adaptado diariamente.

Mesmo assim, a Blondine está se preparando para entrar no mercado com mais de 14 categorias de bebidas artesanais.

Neste período aceleramos muito nossos processos para oferecer aos clientes novas formas para fazerem seus pedidos via plataforma digital

Alexandre Biagi, CEO
Uberlândia Refrescos

A tecnologia é, sem dúvidas, um grande facilitador para os canais de venda e comunicação com os clientes e comunidade externa. Quanto melhor forem as ferramentas digitais, mais inseridos no mercado estaremos. Delivery, uso estratégico de redes sociais, atendimentos automáticos via WhatsApp, e-commerce e outros aplicativos etc, tudo isso colabora para uma retomada efetiva, e ainda assim, cautelosa quanto ao distanciamento social. A transformação digital é um caminho sem volta, e após a Covid o processo será ainda muito mais intenso. Neste período aceleramos muito nossos processos para oferecer aos clientes novas formas para fazerem seus pedidos via plataforma digital. Antecipamos todos os nossos projetos digitais em 10 anos. Foram 10 anos em uma semana. Como um paulista mineiro, fomos ligeirinhos.

Em momentos como esse temos que ser criativos , entender as necessidades e dores dos clientes que em condições normais não seriam percebidas. Temos que ser rápidos, pró ativos, com atitudes positivas e cuidadosos com a atenção psicológica dos clientes. Gostaríamos e vamos sair muito mais fortes do que nunca dessa crise! Otimismo é a palavra de ordem!

Tecnologia faz parte da nossa empresa e o diferencial é a padronização dos processos, além de manter os custos fabril equilibrados para obter resultados de eficiência
e rentabilidade

Gustavo Assoni, Gerente Industrial • Cervejaria Ravache e Bebidas Convenção

Tecnologia faz parte da nossa empresa e o diferencial é a padronização dos processos, além de manter os custos fabril equilibrados para obter resultados de eficiência e rentabilidade.

Tecnologia de dados, digitalização, e-commerce são alternativas importantes para atendimento aos clientes. Atualmente, o foco é a personalização, a comodidade e serviço rápido e fácil.

Também estamos adequando os processos, trabalhando com planejamento e programações exatas ao volume de vendas atual, redução de estoque acabado físico e de insumos, tudo ajustado para a nova realidade.

A transformação digital torna os processos mais ágeis, reduz custos operacionais e desnecessários, além de elevar a qualidade dos serviços
e a produtividade das equipes

Aline Eggers Bagatini, CEO • Bebidas Fruki

Nossa relação com a tecnologia tem sido cada vez mais intensa e fluida no dia a dia. Algumas das novas tecnologias modificarão a maneira que nos comportamos e vivemos. Acredito que ela nos traz eficiência e nos ajuda a tomar decisões adequadas. A tecnologia também é importante, pois nos aproxima dos consumidores, muda a forma como nos conectamos e, principalmente, otimiza o processo de compra e venda de produtos. A transformação digital vem trazendo inúmeros benefícios ao negócio e passou a ser fundamental neste momento de crise. Além de tornar processos mais ágeis, reduzir custos operacionais e desnecessários, elevar a qualidade dos serviços e a produtividade das equipes, também possibilita estreitar relacionamentos com os clientes e oferecer soluções personalizadas.

A crise expõe as ineficiências e, sem dúvida, é uma ótima oportunidade para eliminá-las, turbinar eficiências e pensar de forma diferente e inovadora. Encontramos formas mais simples de implementar projetos que pareciam muito burocráticos, como também, formas diferentes de executar processos e alcançarmos bons resultados. Por mais conturbado que esteja este momento, sabemos que ele vai passar. Agora, o mais importante é utilizar a criatividade para gerar soluções. Como já dizia Albert Einstein, a crise traz progresso: “É na crise que nascem os inventos, os descobrimentos e as grandes estratégias.”

A tecnologia nos permite avaliar os diferentes cenários de forma rápida e, através de pessoas capacitadas, tomar as melhores decisões

Célio Miyagui Junior, Gerente de Tecnologia • Heineken Brasil

O consumidor pós COVID será ainda mais exigente na qualidade dos produtos e na forma como irá se relacionar com as empresas. O serviço e a forma como esses produtos serão consumidos passará fortemente pelos meios digitais. A tecnologia nos permite avaliar os diferentes cenários de forma rápida e, através de pessoas capacitadas, tomar as melhores decisões.

Ao mesmo tempo que as fábricas aumentaram a capacidade, elas também investiram em flexibilidade. Este fator é decisivo agora para a otimização da produção. Outro ponto importante é a inteligência de planejamento e execução com a utilização de ferramentas avançadas e digitais que permitem a adequação do Supply Chain de ponta a ponta.

Os canais digitais ganharam força neste período de quarentena e trazem um hábito de consumo
que pode ser um espaço importante
para o futuro

Gustavo Barreira, CEO • CBCA Cervejaria

Os canais digitais ganharam força neste período de quarentena e trazem um hábito de consumo que pode ser um espaço importante para o futuro. Estamos padronizando nosso sistema de gestão, KPI’s e processos. Apesar de ainda estarmos distantes, caminhamos na direção da indústria 4.0. Dados são fundamentais para tomada de decisão precisa. Uma vez estive em uma reunião em uma empresa americana e tinha um quadro na parede: “In God we trust. For all the rest we need information”. Acho que é por aí.

Temos a vantagem de contar com uma comunidade altamente engajada de quase 700 pessoas, que construímos juntos nas rodadas de crowdfunding. Essa comunidade se tornou um braço forte da CBCA, como embaixadores das marcas, fortalecendo consumo junto aos nossos distribuidores e venda direta nesse período. Temos que preservar esse tesouro, e com confiança e transparência, fortalecê-lo ainda mais. Outra lição é agir rápido. Entender bem o problema, fazer o diagnóstico bem feito e agir.

Estamos muito conectados aos clientes para ajudá-los no desenvolvimento de soluções rápidas e eficazes para as situações e necessidades desse momento

Juliano Rost, Gerente Comercial Especialidades • Prozyn

Com um poder aquisitivo mais baixo por causa da crise, o consumidor de bebidas pode até mudar de categoria ou de marca, mas deve continuar comprando. Nossos clientes estão se adaptando a essa fase de demanda mais baixa.

Para isso, temos um P&D muito forte que pode ajudá-los no lançamento de novos produtos no mercado. Estamos cuidando também dos clientes que precisam de entregas menores. Investimos em um equipamento para fracionar as embalagens e facilitar os pedidos nesse período mais difícil. Também temos uma solução para chope que aumenta bastante o shelf life do produto, muito interessante para as cervejarias nesse período em que o consumo em casa está maior e as vendas em PET aumentaram bastante. Estamos muito conectados aos clientes para ajudá-los no desenvolvimento de soluções rápidas e eficazes para as situações e necessidades desse momento.

Em tecnologia de produção novas fórmulas otimizam custos, tanto em receitas ou embalagens, e podem ajudar a recuperar o fluxo de caixa no “pós pandemia”

Gino Di Domenico, Sócio Fundador
Doxa Partners

Em tecnologia de produção novas fórmulas otimizam custos, tanto em receitas ou embalagens, e podem ajudar a recuperar o fluxo de caixa no “pós pandemia”.

Em tecnologia de informação, este meio acelera a comunicação e a presença com clientes e consumidores. O mundo está conectado e o Brasil já é um país altamente conectado, principalmente a nova geração que “bebe” tecnologia desde muito jovem.

Como lições, aprendemos a ter agilidade, repensar o futuro sem estar preso ao passado.
Gerenciar crise demanda equilíbrio, foco e serenidade. Os líderes têm um papel chave neste processo e devem, portanto, cuidar da saúde mental e física.

Se o mercado está exigindo um produto X e eu produzo apenas Y, devo ser capaz de me adaptar a essa demanda, mudar rapidamente e manter as linhas funcionando
para evitar restrições financeiras

Denis Malterre, VP Sales South America
Sidel

A conectividade, as plataformas eletrônicas e as ferramentas de melhoria de eficiência que, claro, estão associadas a análise imediata de dados, podem nos ajudar a ver o desempenho da linha, e suas tendências de produtividade, sem a necessidade de estarmos na frente da linha. Isso é fundamental nesse momento. Assim como ter linhas flexíveis que possam ser rapidamente adaptadas às necessidades do mercado. Se o mercado está exigindo um produto X e eu produzo apenas Y, devo ser capaz de me adaptar a essa demanda, mudar rapidamente e manter as linhas funcionando para evitar restrições financeiras. Os consumidores verão o produtor como um agente inovador e de mudança, capaz de se adaptar às suas necessidades e demandas, e o produtor poderá permanecer, ainda mais forte, no mercado.

A previsibilidade para manutenção também já é uma realidade importante em nossos equipamentos graças a digitalização. Equipamentos se conversam em Nuvem, compartilhando informações capazes até de auto-ajustar seus próprios planos de manutenção com base no monitoramento e compartilhamento entre equipamentos sobre a durabilidade de algumas de suas peças.

Siga-nos nas Redes Sociais

LINKEDIN  ·  INSTAGRAM  ·  YOUTUBE  ·  FACEBOOK

3 comentários

Deixe seu comentário