Agilidade para responder aos novos desafios do mercado

Série Especial  Desafios #1

Carlos Donizete Parra

 

Os consumidores aprenderam novas habilidades ou aperfeiçoaram hábitos baseados no digital, como e-learning, telemedicina e compras online, que provavelmente continuarão em alta no pós-pandemia. O foco no cliente é um aspecto central para que as empresas possam enfrentar melhor os desafios atuais. Entender o consumidor hoje é sentir o quanto a crise está dificultando sua vida. É um consumidor muito mais sensível a preço, que passou a consumir muito mais em casa em função das restrições ao consumo em bares e restaurantes. Com isso, as vendas digitais passaram a ser um canal obrigatório para as empresas, assim como a necessidade de atender o cliente em todas as ocasiões de consumo. A combinação dos negócios offline e online nunca foram tão importantes, bem como um supply chain eficiente e que estabeleça a conexão necessária entre toda a empresa.

Em vista a todos esses desafios, perguntamos aos executivos da indústria:
Quais as reais oportunidades no mercado de bebidas para os próximos meses? Quais as ações mais importantes a serem tomadas no momento?  Acompanhe as entrevistas.

 

“Devemos fortalecer o relacionamento com nossos clientes, auxiliando-os e orientando-os, pois, para alguns, este será um processo de adaptação mais complexo”

Emerson Vontobel, CEO • CVI Refrigerantes

Está claro que muitos dos hábitos de consumo, então emergentes em um cenário pré-pandemia, se consolidaram e transformaram a forma como consumidores interagem com produtos e serviços. Empresas que consigam acompanhar este novo ritmo de mercado, mais descentralizado, digitalizado e plural, terão um diferencial competitivo na retomada.

Nosso papel agora é o de dialogar com esse público, oferecendo soluções de consumo alinhadas com suas novas necessidades. E para que isto aconteça, devemos fortalecer o relacionamento com nossos clientes, auxiliando-os e orientando-os, pois, para alguns, este será um processo de adaptação mais complexo. Acredito que esta é a forma de avançarmos em um cenário pós pandemia, trabalhando conjuntamente, de forma sinérgica e com foco no resultado positivo para todas as partes envolvidas no negócio. E um bom exemplo disso pode ser a forma como o relacionamento interativo com os Food Aggregators (Delivery Much, iFood e UbberEats) nos aproxima do consumidor, em parceria com nossos clientes.

 

“Estamos otimistas com a reação do mercado. Nosso volume de vendas já está aumentando e acreditamos que investir em variedade e produtos de qualidade, acessível a todos, com embalagens que se adaptem ao momento atual (consumo em casa) pode ser uma alternativa enquanto bares, restaurantes e eventos
ainda estão com restrições”

Diego Gomes, Diretor Industrial • Grupo Petrópolis

Estamos otimistas com a reação do mercado. Nosso volume de vendas já está aumentando e acreditamos que investir em variedade e produtos de qualidade, acessível a todos, com embalagens que se adaptem ao momento atual (consumo em casa) pode ser uma alternativa enquanto bares, restaurantes e eventos ainda estão com restrições.

Com a limitação de encontros com familiares e amigos, percebemos um aumento nos SKU´s descartáveis. Atualmente temos linhas de latas capazes de atender a essa demanda, além, claro, de cerveja de qualidade e excelente abastecimento dos pontos de venda para que o consumidor tenha opção acessível. Com quase 190 distribuidoras próprias, contamos com mais de 700 mil pontos de venda para atender nosso consumidor com rapidez e eficiência, em todo território nacional.

 

“Acreditamos que o consumidor final vai continuar tomando sua cervejinha ou sua bebida de preferência, e o consumo em litros de bebidas não deva sofrer tanto, porém o tipo de consumo no que diz respeito ao comportamento do consumidor certamente mudou e vai continuar mudando”

Silvio Rotta, Diretor
• Krones do Brasil

O mercado de cerveja teve uma mudança significativa, pois a situação atual favoreceu muito o consumo de latas e garrafas One way; o consumo em lata, sobretudo, cresceu muito. Isso se deve principalmente ao fato de o consumo ter aumentado em casa, pois bares, restaurantes e locais onde se tem o maior consumo de garrafas de vidro retornáveis estão fechados ou com funcionamento mais restrito.

Já no caso do refrigerante, houve um comportamento contrário no que diz respeito à embalagem de preferência. Neste caso, o consumo de latas ou embalagens Single Service caiu, e aconteceu um aumento no consumo de embalagens familiares como PET 2 litros ou PET retornável. Acreditamos que o consumidor final vai continuar tomando sua cervejinha ou sua bebida de preferência, e o consumo em litros de bebidas não deva sofrer tanto, porém o tipo de consumo no que diz respeito ao comportamento do consumidor certamente mudou e vai continuar mudando.

 

 

 

“Temos trabalhado em ações, como: apoiar um bar “querido” (com o Brinde do Bem), o apoio aos bares na reabertura com a plataforma com o Einstein, compra direto com os varejistas (aqui entra o movimento Nós, que apoia os estabelecimentos de venda a não fecharem as portas)”

Jussara Calife, VP On trade • Heineken Brasil

É um momento muito difícil para todos, sem exceção. Desde que os primeiros casos de corona vírus foram confirmados no Brasil, temos dedicado todos os nossos esforços em cuidar das pessoas, das nossas, que formam o nosso time de 13 mil colaboradores, e seus familiares, de todos aqueles que se conectam com o nosso negócio de alguma forma e das pessoas em situação de vulnerabilidade social. O Grupo HEINEKEN tem trabalho em oportunidades, como: apoiar um bar “querido” (com o Brinde do Bem), o apoio aos bares na reabertura com a plataforma com o Einstein, compra direto com os varejistas (aqui entra o movimento Nós, que apoia os estabelecimentos de venda a não fecharem as portas).

 

“Oferecer produtos pensados para as diferentes situações de consumo presentes em um único dia, desde que equacionando saudabilidade e conveniência, será preponderante de agora em diante”

Monica Pieratti, Diretora
de portfólio • Tetra Pak

Oferecer produtos pensados para as diferentes situações de consumo presentes em um único dia, desde que equacionando saudabilidade e conveniência, será preponderante de agora em diante. Mas cabe uma ponderação: em função da restrição de orçamento imposta a muitas famílias, o preço será um componente ainda mais importante. Trabalhar com valores acessíveis ou dentro da média de mercado será decisivo na escolha do consumidor.

Em outra ponta, também existe aquele consumidor que tem aproveitado o maior tempo em casa para explorar novas receitas e desenvolver novos talentos culinários. Por causa disso, produtos para receitas caseiras têm registrado alta durante a pandemia, a exemplo do leite condensado (61%), creme de leite (45%) e leite longa vida pronto para beber (39%), segundo dados levantados pelo estudo da Kantar.

 

“Também temos trabalhado várias habilidades de forma mais intensa,
como criatividade, agilidade,
flexibilidade e simplicidade”

Guilherme Almeida, Head de e-commerce • Nestlé

Na Nestlé, a área de Transformação Digital foi criada em 2018 para interligar nossas unidades de negócios e nos conectar ainda mais com os consumidores, além de possibilitar mais agilidade nos processos. Dentro de Transformação Digital, ficam os times de e-Commerce, Inovação, Data Lab, IT e
Nature’s Heart. O time de Transformação Digital lidera e, às vezes, orquestra diversas iniciativas dentro da companhia, como o desenvolvimento de novos modelos de negócios com impacto social.

Agora, entramos em um novo momento com avanços ainda mais rápidos: o que fazíamos em 1 mês, passamos a fazer em 1 semana. Criamos novos processos, fazendo sprints mensais de Transformação Digital, por exemplo. Também temos trabalhado várias habilidades de forma mais intensa, como criatividade, agilidade, flexibilidade e simplicidade.

Siga-nos nas Redes Sociais:

Linkedin Instagram Youtube Facebook

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário