Arujá ganha pontos de entrega para coleta de vidro

Styllus Supermercados e Vila Gastronômica agora têm PEVs para coleta de vidro

A cidade de Arujá (SP) conta agora com seis Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) para coleta de vidro. A iniciativa, que garante que as embalagens de vidro pós consumo possam ser coletadas e recicladas da forma correta, sem serem descartadas no meio ambiente, é da MassFix, prestadora de serviços de coleta, separação e processamento de cacos de vidros oco/embalagens, planos e laminados que fornece matéria-prima para produção de novos produtos em vidro.

Os PEVs estão localizados no Styllus Supermercados e na Vila Gastronômica e são abertos a toda a comunidade. Nestes PEVs podem ser entregues vidros planos e vidros de embalagens (confira abaixo como separá-los corretamente). Outros pontos foram instalados em condomínios da cidade para uso exclusivo dos condôminos.

Tipos de vidro e como separá-los para entrega no PEV

Vidros de embalagens (ocos) – São as garrafas, potes, vidros de perfume e similares. Para entregar no PEV, retire as tampas das garrafas e potes (as tampas de plástico e metal devem ser entregues para coleta seletiva).

Vidros planos – São aqueles empregados na construção civil, em vidraçarias, distribuidores e em indústrias, como a automobilística, de janelas, box e móveis. Para entregar no PEV, separe o vidro da madeira e/ou alumínio e dos restos de obras, como cimento, argamassa, pedaços de tijolos e pedras. No caso de para-brisas, retire as borrachas e outras peças.

Nunca misture porcelanas, louças, cerâmicas e similares, pois esses materiais não são reciclados.

Benefícios da reciclagem do vidro

Usar cacos de vidro nos fornos de produção de novas garrafas e potes traz grandes benefícios ambientais, entre eles a redução do consumo de recursos naturais, como areia, barrilha e calcário. Além disso, reciclar vidro é mais econômico do que produzir vidro a partir de matérias-primas virgens, pois demanda menos energia no processo de fusão, e também reduz a emissão de CO2.

O vidro é 100% reciclável, infinitamente, seja fundindo-o com uma parte de matéria-prima virgem, seja fundindo somente com cacos de vidro. O material apresenta excelente desempenho no processo de reciclagem, sem perda nenhuma de volume. Com um quilo de cacos de vidro pode-se fazer um quilo de vidro novo.

Como o vidro é reciclado?

O processo de reciclagem do vidro consiste nas etapas de triagem, separação de contaminantes, trituração e molde. Na primeira etapa, o vidro é separado de acordo com seu tipo e cor, o que vai facilitar os próximos passos da reciclagem. Após serem separados, os vidros são separados de contaminantes para remover todas os elementos que não são vidros, como gargalos, tampas, pedras, porcelanas, metais etc.

Em seguida, o material é triturado em pedaços, comumente chamados de cacos, que vão para as recicladoras, como a Verallia, fabricante de embalagens de vidro para alimentos e bebidas. As fábricas da Verallia no Brasil utilizaram 53% de caco reciclado na produção em 2019.

Na última etapa, a do molde, a fabricante de embalagens funde os cacos de vidro em fornos com temperatura acima dos 1.300°C. Com o vidro derretido, a indústria de embalagens o usa na produção de novas garrafas e potes, que vão para diversas fábricas de alimentos e bebidas para envasar seus produtos.

Letícia Zydowicz, gerente de EHS da Verallia, acrescenta que para cada 10% dos cacos de vidro que entram no processo produtivo, são usadas aproximadamente 3% a menos de energia, com redução proporcional de emissão de CO2. “Escolher o vidro para ser a embalagem preferencial de seus produtos não é apenas uma escolha econômica, mas é, principalmente, um caminho inteligente e consciente. A nossa linha de produtos é eco-projetada, ou seja, atende aos requisitos técnicos, otimizando o uso de recursos naturais”, completa Letícia.

Siga-nos nas Redes Sociais:

Linkedin Instagram Youtube Facebook

 

Deixe seu comentário