Dádiva lança Odonata com madeiras brasileiras

Desde 2016, sempre no mês de julho, a Cervejaria Dádiva lança a série Odonata, um lote limitado de uma Russian Imperial Stout envelhecida em madeira, que traz a cada edição um uso criativo de adjuntos e madeiras.

Em parceria com os especialistas Isadora Fornari e Maurício Maia, neste ano, a Cervejaria Dádiva decidiu explorar o universo das madeiras brasileiras para compor as Odonatas, #7 (envelhecida em barricas de Jaqueira), #8 (envelhecida em barricas de Jequitibá), #9 (envelhecida em barricas de Bálsamo) e #10 (envelhecida em barricas de Amburana).

Victor Marinho, sócio e Diretor Industrial da Dádiva, usou a base da Odonata, uma Russian Imperial Stout com teor alcoólico de 11,5%, para trabalhar processos paralelos de envelhecimento em quatro tipos de barricas de madeira por seis meses. “Quando se trata de uma mesma base e do mesmo tempo de envelhecimento, é muito desafiador encontrar resultados com personalidades tão diferentes. Neste processo, as madeiras foram fundamentais para despertar novas sensações sensoriais”, comenta.

A versão #7, com Jaqueira, tem dulçor bem presente. Traz no sabor nuances que lembram frutas passas. A Odonata #8, com Jequitibá, embora delicada, tem bastante complexidade de aroma e sabor, é seca e tem notas florais. O Bálsamo, na versão #9, se apresenta com um toque herbáceo intenso e mentolado, contrastando com a tosta da madeira. A Odonata #10, por outro lado, traz as características típicas da Amburana, deixando à mostra toda a doçura da baunilha e da canela na cerveja.

O lançamento oficial do lote 2018 da série Odonata acontece nesta quarta-feira (04/07), às 19h, no EAP – Empório Alto dos Pinheiros. A partir desta data, pensando em oferecer uma experiência única aos apreciadores de cervejas artesanais, a Cervejaria Dádiva, em parceria com o EAP, oferecerá, por tempo limitado, uma sugestão de harmonização das Odonatas com comidinhas que levam madeira em seu preparo. A casa vai trabalhar com uma régua de degustação das quatro versões (doses de 100 ml cada) acompanhada por pequenas porções de polenta cremosa, trabalhadas com Jaqueira, Jequitibá, Bálsamo e Amburana. O preço será de R$ 54,00 e a degustação será válida até que dure o pequeno lote de chope dos lançamentos, reservado especialmente para proporcionar este tipo de experiência aos consumidores.

Luiza Lugli Tolosa, sócia fundadora da Cervejaria Dádiva, comenta que o uso de madeiras brasileiras em cerveja ainda é pouco explorado no Brasil, e muitas vezes restrito à madeiras mais conhecidas como a Amburana e, mais recentemente, a Jaqueira. “Por isso, escolhemos também trabalhar com madeiras que não são muito utilizadas no mercado cervejeiro nacional”.

Por outro lado, enquanto o mercado de cerveja artesanal ainda está começando a explorar as madeiras brasileiras, elas já são bastante exploradas no envelhecimento de cachaças. Por isso, para guiar a escolha das madeiras, a Dádiva convidou a consultora em cachaça, Isadora Fornari, e o chef de cozinha e cachacier Maurício Maia, para criar em conjunto a edição 2018 da Odonata.

Com produção limitada a 700 garrafas de cada versão, a série Odonata terá preço sugerido de R$ 48,00 (garrafa rolhada de 375 ml).

Deixe seu comentário