Redes sociais ajudam ou prejudicam na hora de procurar emprego?

Tomar alguns cuidados é essencial para utilizar essas ferramentas em seu favor

Por Alessandra Vieira Martins

A tendência de utilizar a internet para buscar oportunidades de emprego é uma realidade no Brasil. Grande parte da população tem acesso à rede mundial de computadores e o uso dessa ferramenta por profissionais em busca de emprego vem crescendo a cada dia. Do outro lado, especialistas em recrutamento e seleção também recorrem a sites especializados e algumas redes sociais em busca dos melhores profissionais para preencher suas vagas.

As redes sociais profissionais possibilitam identificar de forma mais ágil os cargos e as empresas nas quais o candidato trabalhou e as experiências que tem. Já nas redes sociais focadas em relacionamento é possível verificar aspectos comportamentais desse candidato – e é justamente nesse ponto que eles devem prestar muita atenção. Algumas empresas eliminam candidatos de processos seletivos com base no que veem aí e isso é um alerta para quem está em busca de oportunidades.

Essas páginas são uma fonte muito rica de informações sobre o cotidiano e o comportamento do candidato. Quando o selecionador quer saber se ele está realmente alinhado com a cultura organizacional e os valores éticos da empresa, busca indicadores através dessas redes.

Considerando todos esses pontos, chegamos à conclusão que buscar oportunidades de emprego através da rede pode ser sim muito proveitoso, mas é preciso ter cautela!

O profissional que opta por não ter perfil em redes pode ficar em desvantagem em relação aos concorrentes, mas quem não abre mão de fazer parte das mídias sociais deve ter em mente que poderá sim ser monitorado por pretensos e atuais empregadores.

Quando postamos, compartilhamos ou curtimos algo, estamos de certa forma, expondo um pouco dos nossos valores, da nossa forma de ver o mundo e da nossa essência. Uma simples foto pode revelar muito sobre nossa personalidade e é justamente no que diz as entrelinhas que as empresas estão de olho! Dificilmente uma empresa contratará para sua equipe um candidato cujo perfil demonstre tendência a vícios, falhas de caráter e preconceitos.

O perfil nas redes pode ser um meio muito interessante para expressar suas ideias, mostrar sua personalidade e fazer networking. Sendo assim, é recomendável se munir de profissionalismo e bom senso, fazendo dessas ferramentas suas aliadas. Alguns cuidados podem ajudar:

– Evite postar indiretas: desabafar e tentar resolver picuinhas nas redes demonstra imaturidade e pega muito mal!

– Jamais fale mal de empresas que trabalhou ou de antigos chefes: por mais que tenha seus motivos, os selecionadores sempre torcem o nariz para esse tipo de atitude.

– Não poste fotos comprometedoras: mesmo que você não tenha adicionado seus colegas de trabalho ou seu gestor, foto de biquíni (ou de sunga) não pega bem.

– Não comente informações estratégicas da empresa onde trabalhou: mesmo que indiretamente, postar informações estratégicas pode custar seu emprego ou a possibilidade de um novo.

– Cuidado com comentários aparentemente inocente: comentário do tipo “Ainda bem que é sexta-feira!!” pode ser interpretado pelo seu chefe como uma reclamação.

– Não force intimidade com seus superiores: se quer adicionar seu chefe na rede social, antes tenha certeza que vocês de fato têm uma relação próxima o bastante, caso contrário você estará forçando uma intimidade que não existe. Nem pense em adicionar o recrutador que te chamou para uma entrevista hoje de manhã

Para finalizar, mantenha sua identidade. Não vale criar um perfil da pessoa que você acredita que as empresas estejam buscando. Aproveite as redes para mostrar seus valores de forma inteligente. Certamente as oportunidades surgirão.

Alessandra Vieira Martins é gestora de recursos humanos e gerente comercial na Perfil Humano RH, empresa especializada em recrutamento e seleção.

Deixe seu comentário