Para driblar inflação consumidor visita mais canais de compra

Reduzir gastos e priorizar cestas são outras alternativas

A América Latina vem sofrendo com a alta inflação. A expectativa é que fique na casa dos dois dígitos ao longo deste ano, atingindo seu pico no terceiro trimestre. De acordo com o mais novo relatório Consumer Insights da Kantar, isso faz com que a população tenha menos poder de compra. Tanto que, no primeiro trimestre de 2022, os consumidores buscaram racionalizar seus gastos, priorizando cestas e, sobretudo, canais.

Apenas no Brasil, 63% das pessoas disseram que estão mais cautelosas e só compram aquilo que já haviam se programado para adquirir. Também estão aproveitando mais promoções (46%) e trocaram suas marcas favoritas por opções mais baratas (24%).

“Além da inflação, a América Latina tem alto desemprego e informalidade, e, diferentemente da Europa ou dos Estados Unidos, a grande maioria dos consumidores não acumulou reservas durante o período de isolamento, que poderiam ajudá-los a enfrentar a escalada dos preços agora”, aponta Cecilia Alva, diretora de Clientes e Novos Negócios para América Latina da divisão Worldpanel da Kantar.

Em tempos de crise, os bens de consumo massivos (FMCG) se tornam a parte mais importante dos gastos das famílias. Em 2022, estão comprometendo 37% da renda dos latino-americanos versus 34% em 2021. Em lares com crianças, esse índice pode chegar a 41%. Isso sem contar que cada visita ao ponto de vendas se torna mais importante, pois ocorre com menos frequência e com tíquetes menores.

 

A força do omnichannel

Para driblar a situação econômica, compradores estão visitando mais canais, buscando otimizar seus gastos. Isso fez com que o omnichannel crescesse na maioria dos países da América Latina. A maior alta, por sua vez, ocorreu no Brasil – aumento de 20% no número de canais visitados e 3% na frequência, quando comparado o primeiro semestre de 2022 com o mesmo período de 2019.

De forma geral, os latinos preferem fazer compras em canais de varejo tradicional (43%), autosserviços (35%) e atacadistas (10%). A segunda e a terceira opção são procuradas por seu amplo sortimento e melhores preços para compras maiores. A primeira é ideal para tíquetes menores e aquisições mais específicas.

A divisão Worldpanel da Kantar segmentou os compradores entre Cautelosos (visitam de 1 a 4 canais), Disponíveis (realizam suas compras em 5 a 7 canais) e Experimentadores (visitam mais de 8 canais). Para o perfil mais omnichannel, experimentador, o varejo tradicional perde relevância (38%) e eles somam mais canais entre suas escolhas: autosserviços (36%), atacarejos (12%), lojas especializadas (6%) e Porta a Porta (5%).

“As famílias estão tentando mudar o perfil de compra para enfrentar a inflação, ou seja, estão reduzindo o tamanho de suas compras e direcionando seus gastos para visitas menores, uma vez que o tíquete é mais gerenciável”, conclui Cecilia.

Siga-nos nas Redes Sociais:

Linkedin Instagram Youtube Facebook 

 

Deixe seu comentário