Versáteis e competitivos

GONY_Hibiscus-drink_0404Destaque para os moscatéis, com elevação de 31%

Em ascensão na maioria dos países, os espumantes ampliam sua participação em diversos grupos de consumidores mostrando uma versatilidade importante dentro da categoria de bebidas.

O espumante é o grande destaque do setor de vinhos sendo reconhecido por especialistas do mundo inteiro como o melhor espumante do hemisfério sul. A competitividade do produto também é reconhecida traduzindo-se em aumento de vendas tanto no mercado nacional quanto internacional. Com o aumento do dólar essa competitividade deve ser ampliada, pelo menos durante este ano.

As premiações internacionais, divulgação e redução da sazonalidade também contribuem para o crescimento do consumo de espumantes brasileiros.
O último verão mostrou que o brasileiro não é mais o mesmo. Cada vez mais é frequente a associação de verão, praia, piscina e descontração, com as borbulhas dos espumantes.

Champagne-at-Queens-BeachIsso foi comprovado pelos números de comercialização do produto nos meses de janeiro e fevereiro deste ano. Na esteira da campanha promocional lançada pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), e de ações das próprias empresas, foram comercializados 1,2 milhão de litros da bebida, o que significa um aumento de 15,2% em relação aos primeiros dois meses de 2014. O destaque é para os moscatéis, com aumento de 31% e a venda de mais de 310 mil litros. Na comparação com a média dos últimos cinco anos (2010 a 2014), o índice de crescimento é ainda mais significativo: 35,7% para os espumantes de forma geral e mais de 50% na venda de moscatéis.

Para o gerente de Promoção do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Diego Bertolini, o resultado mostra a tendência de expansão das vendas dos vinhos espumantes para além das festas de final de ano. Bertolini destaca o aumento da comercialização de moscatéis como uma amostra de que novos consumidores estão sendo atingidos com as campanhas desenvolvidas pelo Ibravin e reforçadas pelas empresas com outras ações de marketing como venda em taças, distribuição de ice bags(sacola térmica que possibilita consumo na praia ou piscina) entre outras. “Enxergamos os moscatéis como a porta de entrada para o mundo do vinho. Por isso, o foco em rádios com perfil jovem e outras iniciativas em parceria com as empresas surtiram efeito”, acredita.

Bebendo vinhoO presidente do Sindicato da Indústria do Vinho, do Mosto de Uva, dos Vinagres e Bebidas Derivados da Uva e do Vinho (Sindivinho/RS), Gilberto Pedrucci, elenca três aspectos que considera decisivos para os bons resultados alcançados pelo setor na venda de espumantes. O empresário destaca o custo benefício da bebida em relação aos produtos importados, a quebra da sazonalidade no consumo e o reconhecimento de publicações como o Guia Descorchados 2015. “O fato das pessoas estarem consumindo o produto em diferentes períodos do ano e o reforço na imagem dos espumantes brasileiros com avaliações excelentes em publicações e concursos internacionais contribuem para consolidar essa posição do Brasil e a competitividade dos produtos”, avalia.

O diretor de vendas da Salton, Cléber Slaifer, concorda com a avaliação do presidente do Sindivinho de que está ocorrendo uma diluição do consumo do produto mais uniformemente durante o ano. Slaifer afirma que tanto a empresa como as demais vinícolas que trabalham de forma mais direcionada com espumantes estão colhendo os frutos de um trabalho iniciado há alguns anos. Para ele, é necessário dar continuidade com ações mais pontuais, em outras regiões do país. “Precisamos associar o ganho de imagem enorme que estamos tendo com o espumante com a parte comercial. Fazer com que as campanhas cheguem na ponta,que é o consumidor”, propõe.

vinho tintoDaniel Panizzi, gerente comercial da vinícola Don Giovanni, afirma que, apesar de ainda existir uma concentração maior de vendas nos meses de novembro e dezembro, nos últimos anos tem crescido o faturamento da empresa também nos meses seguintes. “Mesmo com uma certa retração que estamos observando no mercado, o mês de fevereiro foi excelente em vendas”, informa. Localizada no município de Pinto Bandeira, a vinícola também trabalha com enoturismo e, segundo o gerente, o fluxo tem se mantido estável.

Franco Perini, diretor comercial da Vinícola Perini, enfatiza que a campanha “Espumantes do Brasil. Esse é o clima do verão” teve relação direta com os resultados de vendas da empresa. Segundo ele, a decisão de focar num novo perfil de consumidor surtiu o efeito desejado, e a iniciativa deve se repetir em outras ações. “Foi uma campanha assertiva, que tem gerado ótimos resultados e que pode servir de exemplo de promoção de vinhos com o público jovem e que ainda não está no mundo do vinho”, propõe. Perini também sugere que sejam feitas campanhas voltadas ao consumidor final, em situações de consumo diversificadas.

Campanha do Ibravin

A campanha “Espumantes do Brasil. Esse é o clima do verão” incluiu outdoors, ações de merchandising e inserções em rádios, jornais e internet. Promoções de compre e ganhe nos pontos de venda também foram veiculadas junto ao público consumidor entre os meses de dezembro e março. O objetivo foi fortalecer a imagem dos espumantes brasileiros, categoria que detém mais de 70% de participação no mercado interno brasileiro.

Os turistas que trafegaram pelas principais rodovias de acesso ao litoral visualizaram outdoors com os dizeres “Espumantes do Brasil. Quando você abre, o verão acontece”, além de relógios que exibem hora e temperatura, nas praias de Torres, Capão da Canoa e Atlântida, no RS, e Florianópolis, em SC.

Pulverizador_Perini_2Tecnologia na produção

De uma maneira geral, tanto para os espumantes quanto para os tintos, a vindima 2014/2015 trouxe boas expectativas para as vinícolas. O clima colaborou e isso deve proporcionar a elaboração de vinhos de excelente qualidade.
O aumento de tecnologia das empresas também é preponderante para que se tenha um fruto de qualidade para transformação de bons vinhos.

A Salton, uma das principais vinícolas do Brasil, somente em Santana do Livramento, em uma área de 635 hectares, investiu R$ 22 milhões, entre vinhedo, infraestrutura e equipamento. Para uma colheita eficiente, a empresa utilizou uma colhedeira automotriz. Segundo o agrônomo da empresa, Maurício Copat, “a colhedora adquirida na França preserva a qualidade da uva e permite uma colheita mais rápida e eficiente. Com a vibração e a mesa seletora, temos uma triagem prévia dos melhores grãos. Assim, colhemos com alta qualidade”, explica Copat.

Winery-Club-Wine-ToursO relevo da região é plano e suavemente ondulado, favorecendo a mecanização, bem como a implantação de técnicas diferenciadas no trato do vinhedo.

Essa unidade da Salton, localizada em Santana do Livramento, é responsável pelo recebimento das uvas próprias, em torno de 1 milhão de quilos, e uvas dos fornecedores da região, transformando o produto em mosto que seguirá para etapa final de vinificação na unidade de Tuiuty, na Serra Gaúcha.

“É uma maneira de diminuir o custo do frete, e do transporte de um peso desnecessário que engloba caixas plásticas, cascas, sementes e resíduos”, explica o presidente da vinícola, Daniel Salton.

Com uma colheita de cerca de cerca de 12 milhões de quilos de uva nesta safra de 2015, a Vinícola Perini, uma das principais do país, utilizou um equipamento que reduziu em 70% o consumo de água nos processos de pulverização dos vinhedos.

Colhedora Automotriz _credito Duda PintoEm época de crise hídrica e racionamento de água pelo Brasil, o pulverizador eletrostático utilizado pela Perini utiliza uma turbina giratória, com diversos canos, que distribuem o produto de forma homogênea. Desenvolvido por um fornecedor da empresa, de acordo com suas necessidades, o equipamento possui um tanque de armazenagem para 500 litros, que utiliza cerca de 150 litros para realizar a atividade em cada hectare de vinhedo. Automático, com direção hidráulica e ar condicionado, o equipamento proporciona um ganho de quase duas horas no trabalho diário nas plantações de uva, além de reduzir o consumo de combustível, visto que dispensa o retorno para abastecimento.

Práticas como essas garantem maior eficiência ao negócio resultando em ganhos de qualidade e rentabilidade.

Bebida saudável

Apesar das dificuldades econômicas enfrentadas pelo Brasil em 2015, o aumento da renda da classe média deve ainda favorecer o consumo de vinho no país.

Os vinhos tintos apresentam a grande vantagem de poder embarcar na onda da saudabilidade conquistando cada vez mais o consumidor brasileiro.

Rico em resveratrol, um poderoso antioxidante natural, o vinho é visto como uma bebida saudável por um quarto dos brasileiros, segundo pesquisa realizada pela Mintel em julho de 2014.

Mesmo sendo pouco explorada pelas empresas fabricantes de vinhos, a saudabilidade é apontada pelas mulheres acima dos 35 anos como uma das principais razões para se beber vinho. Elas consideram o vinho uma bebida saudável e que pode ajudá-las a melhorarem a estética devido aos efeitos causados pelo envelhecimento.

 

tabela consumidor

A pesquisa revelou ainda que mais da metade dos consumidores declaram tomar o vinho para relaxar (53%), 33% para comemorar e 15% para melhorar o humor destacando o lado social da bebida.

Além dos benefícios já conhecidos sobre o vinho, estudos recentes realizados pela Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, sugerem que o consumo moderado de vinho pode reduzir o risco de deficiência visual a longo prazo.
Pesquisadores analisaram dados de seis mil pessoas entre 43 e 84 anos durante um período de 20 anos, levando em conta seu estilo de vida e hábitos como fumar, beber e se exercitar. Quando se concentraram no consumo de vinho, detectaram que 7,8% dos abstêmios desenvolveram doenças oculares contra 2,7% daqueles que consumiam vinho regularmente e 4% dos que ingeriam a bebida ocasionalmente. No entanto, é importante ter em conta que antes de adotar qualquer hábito de consumo de bebidas alcoólicas, entre elas o vinho, deve-se consultar um médico.

Muito importante aproveitar essas informações para posicionar o vinho de acordo com seus atributos e anseios do consumidor brasileiro. O sucesso do empresário é saber disponibilizar produtos atuais e com serviços adequados com o máximo possível de qualidade ao consumidor final.

Deixe seu comentário