Tetra Pak mira startups para ampliar portfólio

Com um crescimento de 16% na venda de embalagens para categorias novas e emergentes em 2021, companhia busca se posicionar como parceira ideal para startups da indústria de alimentos

Parceira de longa data de fabricantes de alimentos e bebidas, a Tetra Pak tem mirado startups em novos segmentos e categorias para manter o crescimento no Brasil, indo além de categorias consolidadas como leites e sucos comercializados em embalagens longa vida.

Para referência, nos últimos três anos, a empresa registrou um crescimento de 36% no volume de embalagens vendidas para categorias novas e emergentes. Em 2021, o crescimento foi de 16% em relação ao ano anterior, índice alavancado pelo crescimento de bebidas proteicas (57%), refrescos (40%) e leite fermentado (14%). De 2018 a 2021 também cresceram significativamente as vendas de embalagens para produtos à base de plantas (58%) e cremes culinários (160%).

“Estamos implementando uma estratégia de diversificação de portfólio na Tetra Pak para ampliar nossa atuação em novas categorias, como bebidas funcionais, com alto teor de proteína e à base vegetal, dentre outras possibilidades que respondam à demanda do consumidor nas gôndolas por produtos mais naturais e saudáveis. Além da embalagem, também fornecemos serviços técnicos e equipamentos de processamento para a indústria”, comenta Danilo Zorzan, diretor de Marketing da Tetra Pak Brasil.

Além do foco em categorias novas e emergentes, a Tetra Pak tem auxiliado diferentes clientes na criação e desenvolvimentos de novos conceitos e produtos. No Centro de Inovação ao Cliente (CIC) da companhia, localizado em Monte Mor (SP), fabricantes de alimentos e bebidas podem desenvolver novos produtos em caixinha, passando desde a etapa de ideação, desenvolvimento e teste do alimento, incluindo também a estratégia de posicionamento do produto no mercado.

No caso de fabricantes que ainda não possuem unidade própria de produção, a companhia também auxilia fazendo o intermédio com copackers habilitados para fabricar e envasar produtos em caixinha. No modelo de copacking, o fabricante fornece a receita e os insumos para a fabricação do produto, terceirizando toda a estrutura fabril para um copacker, empresa que possui a infraestrutura e equipamentos de processamento e envase da Tetra Pak para atuar na produção de alimentos de diferentes marcas.

Danilo Zorzan, diretor de Marketing da Tetra Pak

Novo programa

Segundo Danilo Zorzan, a Tetra Pak sempre participou ativamente no desenvolvimento de produtos junto com seus clientes. Desses trabalhos surgiram diversas empresas fabricantes de alimentos e bebidas. “No passado, muitos clientes surgiram desse conceito, então melhoramos o modelo de uma forma mais estruturada e que permita a escalabilidade do projeto junto a essas startups. Queremos estar cada vez mais próximos dessas empresas”, explica o executivo.

A parceria com a Plug & Play viabiliza o projeto e coloca a Tetra Pak dentro desse ecossistema de uma forma mais proativa e eficiente. ” Eles capturam, filtram e os escolhidos são apresentados para nós. A partir daí selecionamos aquelas que têm mais viabilidade com nosso negócio e com as categorias que nos interessam para participarem da cocriação e desenvolvimento de produto, testes, envase e uma escala industrial usando a tecnologia Tetra Pak”, diz Danilo Zorzan. São realizadas duas ou três seleções por ano e no final de 2022 acontecerá um outro pitch. Esse programa de startups já foi responsável pelo lançamento de duas marcas no mercado e mais oito estão sendo incubadas na empresa.

Siga-nos nas Redes Sociais:

Linkedin Instagram Youtube Facebook 

 

Deixe seu comentário