Inovação na produção de água mineral

Embalagens diferenciadas, novas tecnologias e inovações
em produtos estão nas estratégias dos engarrafadores

Carlos Donizete Parra

Vital para o funcionamento do organismo, a agua mineral vem sendo beneficiada pelo comportamento da população que busca cada vez mais produtos saudáveis em todos os momentos de consumo. Seja para a hidratação ou para o acompanhamento das refeições, a água mineral ganha destaque e se posiciona como a bebida não alcoólica mais consumida no mundo. O Brasil é o quinto maior produtor mundial de água engarrafada, com um crescimento de cerca de 10% ao ano nos últimos três anos.

O setor cresceu ancorado nas vendas dos garrafões de 20 litros, mas também tem experimentado um aumento considerável nas versões individuais entre os consumidores que elegeram a água mineral como um produto do dia-a dia, para ser ingerida durante o trabalho, ida à escola ou como companheira na academia e em outras práticas esportivas. É notório também o aumento de consumo em bares e restaurantes. A água mineral já faz parte da onda de produtos gourmets e acompanha perfeitamente refeições mais elaboradas e requintadas. O consumidor brasileiro vem ao longo dos anos sofisticando seus hábitos e apurando o paladar. Produtos nessa linham estão em alta no mercado. A água, dessa forma, passa a ser uma companheira para qualquer ocasião de consumo, independente da classe social e da faixa etária do consumidor.

A água mineral é companheira para qualquer ocasião de consumo, independente da classe social e faixa etária do consumidor

Apesar disso, o consumo per capita ainda tem espaço para crescer. E, para isso, engarrafadores investem em novas embalagens e tecnologias que atendam as necessidades da população, permitindo a entrega de produtos de qualidade e com preços atrativos. Questões como praticidade, conveniência e sustentabilidade ganham a preferência dos consumidores e fazem a diferença na escolha do produto no ponto de venda.

Como estratégia de diferenciação e extensão de portfólio merece destaque também as águas saborizadas e acrescidas de vitaminas, minerais e outros ingredientes que apresentem algum benefício extra ao consumidor. As vendas dessas águas ainda são pequenas no Brasil, mas são produtos que merecem atenção dos fabricantes.

Tecnologia e  sustentabilidade

Inovar e ser mais sustentável é uma premissa e uma realidade para a indústria mundial atualmente. Com o lançamento da Naturágua Eco, o Grupo Telles atingiu as duas metas de uma vez só. O produto se diferencia por ser proveniente de novas fontes de água mineral, que apresentam pH acima de 7 – naturais da fonte –, implantadas em uma área de mais de 50 hectares. A produção da nova linha é feita com tecnologia alemã e utiliza energia solar.

“Nossa água é composta por elementos essenciais da natureza, sendo rica em bicarbonato, cálcio, potássio e outros elementos que trazem benefício ao corpo humano”, Aline Telles Chaves

A Naturágua Eco chega ao mercado com mais novidades: sua garrafa é mais leve, com 9 gramas – contra as de 13 a 15 gramas, normalmente, disponíveis no mercado – e, por isso, se posiciona frente a nova tendência do segmento de embalagens, que tem priorizado a redução de material, de recursos e a eficiência energética na produção.
Para o lançamento deste produto, a empresa trouxe da Alemanha um maquinário em linha única de sopro e envase fabricado pela Krones, considerado um dos mais modernos do mundo para o envase da água mineral. O equipamento proporciona maior capacidade produtiva e mais qualidade para o produto final, isso porque completa todo o ciclo produtivo, desde a confecção da garrafa até o envase, rotulagem e empacotamento.

Cadeia sustentável para uma economia circular

O investimento de 13 milhões de reais tornou possível o desenvolvimento de uma embalagem com 30% menos plástico. “Reduzir material significa, automaticamente, diminuir a utilização de recursos para a produção como um todo. O ciclo produtivo inteiro é impactado, o que gera um produto muito mais sustentável”, explica Aline Telles Chaves, vice-presidente de Operações do Grupo Telles.

“Em um momento em que toda a indústria está atenta para inserir-se no contexto da economia circular, estamos colocando no mercado um produto com a embalagem muito mais fácil de reciclar. Assim, também fazemos nossa parte nesse sentido”, complementa Aline Telles Chaves. Além disso, para manter seu compromisso com a vida e com o meio ambiente, a nova fábrica da Naturágua usufrui de compressores de alto rendimento, que demandam menor consumo de energia, e projeto de usina solar que deve abastecer toda a fábrica com energia limpa.
Com sede em Fortaleza-CE, o Grupo Telles é formado por sete empresas – Agropaulo, Ceará Mirim, Ypetro, Naturágua, Yplastic, Santelisa Embalagens e iPark Complexo Turístico. A história do Grupo, mais antiga empresa familiar do Brasil, começou em 1846 com o português Dario Telles de Menezes, produtor de aguardente de cana-de-açúcar na fazenda Ypióca, em Maranguape-CE. A bebida abriu caminho para uma trajetória de sucesso que atravessa cinco gerações.

O mercado

O Brasil tem cerca de 640 empresas de água mineral e mais de 800 marcas, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Água Mineral (Abinam).

As propriedades das águas que chegam às prateleiras variam de acordo com suas fontes, processos de manipulação, sais adicionados e processos de envase.

A água pode ser mineral natural, adicionada de sais ou potável de mesa. Em linhas gerais, a adicionada de sais e a potável de mesa sofrem influências químicas para a inclusão artificial de propriedades, ou seja, são bebidas que passam por um processo de industrialização para que possam ser consumidas. A mineral natural, por sua vez, provem direto da fonte e não pode ter aditivos. Os sais minerais que ela carrega vem de um processo natural, livre de qualquer manipulação físico-química, o que preserva seus benefícios. Todas essas informações devem constar nos rótulos das embalagens de forma visível para o consumidor.

Deixe seu comentário