Grupo Petrópolis reforça diferenciais competitivos com fábrica de Uberaba

Unidade mineira é a maior da companhia
e consolida o projeto de crescimento sustentável do Grupo

Carlos Donizete Parra | Fotos: Divulgação

Com um olhar voltado aos negócios, a inovação e ao futuro do planeta, o Grupo Petrópolis, única grande empresa do setor cervejeiro com capital 100% nacional, deu mais um passo gigantesco rumo à sua trajetória de crescimento no mercado brasileiro de bebidas. A nova fábrica do Grupo Petrópolis, instalada na cidade de Uberaba/MG, faz parte de um investimento de R$ 1,2 bilhão. O empreendimento é responsável pela geração de cerca de 3,7 mil novos empregos, direta e indiretamente, desde o início das obras, impulsionando fortemente o desenvolvimento e a economia locais.

A utilização de recursos da Indústria 4.0, além de inovações tecnológicas em processos e produção fazem da nova unidade uma das mais modernas do setor cervejeiro no mundo. Isso tudo sem perder de vista a sustentabilidade e a criação de um ambiente de trabalho moderno e confortável aos colaboradores da unidade recém inaugurada.

A fábrica mineira é a oitava unidade do Grupo Petrópolis, que já conta com cervejarias no Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Pernambuco e Mato Grosso. Localizada na Rodovia BR 050, no Km 188, a nova fábrica tem 108 mil m² de área construída, o que equivale a quase 15 campos de futebol. Além disso, possui 190 mil m² de área gramada. Ao todo, são 14 edificações administrativas e 22 industriais.

Quando estiver com seu funcionamento total, a unidade terá capacidade produtiva superior a 8,6 milhões de hectolitros de cerveja por ano, ou seja, 860 milhões de litros da bebida. Tem quatro linhas de engarrafamento com capacidade para o envase de 256 mil latas/hora e 140 mil garrafas/hora. Toda cerveja produzida pela fábrica de Uberaba será distribuída para as cidades de Minas Gerais e dará suporte para regiões como Norte e Noroeste de São Paulo, além de Goiás e Distrito Federal, por exemplo.

Dentre as marcas de seu portfólio, a unidade de Uberaba vai produzir as cervejas Crystal, Lokal, Itaipava, Itaipava Premium, Petra e Cacildis, atendendo a demanda dos produtos de acordo com a necessidade de mercado.

Esse investimento reforça o potencial de crescimento da empresa em Minas Gerais, visto que sua participação de mercado, até então, só não era maior por não ter produção suficiente para conseguir atender a toda demanda. Atualmente, o estado consome 14% de toda cerveja produzida no país e representa um importante mercado para o setor cervejeiro.

“O Grupo Petrópolis tem aproximadamente 9,5% de participação do mercado de cerveja em Minas Gerais. Levando em consideração que nosso share médio nacional é de 14,5%, então temos um bom desafio pela frente até chegarmos em nossa média nacional. Mas não queremos ficar nisso, visto que – nos estados em que temos fábrica – nossa participação de mercado sempre é maior. Com a nova fábrica, teremos capacidade produtiva para atender praças onde nossa presença era tímida. Com isso, pretendemos aumentar o share da companhia para 16%, até 2021”, garante Diego Gomes, diretor industrial do Grupo.

EFICIÊNCIA E ECONOMIA DE ENERGIA NA ÁREA DE UTILIDADES

A área de utilidades da Petrópolis foi abastecida com Drives Auto portantes da Danfoss com grau de proteção IP54. Eficientes, esses drives geram um melhor controle sobre os compressores e, com isso, uma grande economia de energia devido a modulação do Drive com o compressor. Além disso, o Drive está preparado para a indústria 4.0. Os dados estão disponíveis na rede de comunicação do cliente, podendo assim serem coletados e trabalhados.

Estes Drives oferecem ao cliente confiabilidade devido suas proteções intrínsecas ao conversor de frequência VLT FC -102 HVAC Drives, garantindo agilidade no comissionamento dos compressores de amônia.

A Danfoss forneceu também os conversores de frequência dos transportadores, usina de CO2 e planta de tratamento de efluentes.

“A fábrica de Uberaba pode ser considerada uma referência da indústria uma vez que foi instalada em um grande polo da indústria de bebidas, na região do triangulo mineiro, consolidando a posição da Cervejaria Petrópolis como uma das maiores cervejarias do Brasil. Foram usadas na fábrica premissas de equipamentos mais eficientes, confiáveis e de fácil configuração, onde a Danfoss pode atuar com seu portfólio completo de Drives e Válvulas”, explica Douglas Rosso, Especialista de vendas segmento Beverages da Danfoss Drives.

Projeto inovador

O projeto da fábrica nasceu segundo os pilares da Indústria 4.0, iniciando-se pela escolha de equipamentos de última geração no mercado cervejeiro, visando à máxima produtividade, a minima geração de resíduos industriais e respeitando as melhores práticas de consumo de água e energia. O projeto civil também contemplou as melhores práticas de mercado e melhorias específicas da equipe de Engenharia Civil. Foi adotado um layout que contribui para o mínimo deslocamento dos insumos e produtos na fábrica, o que contribui para a eficiência fabril, além de já prever a possibilidade de expansões futuras sem prejuízo ao meio ambiente. Os equipamentos foram integrados por sistemas que permitem o acompanhamento online do desempenho de cada linha de produção. A fábrica segue os pilares: fluxo contínuo, redução de desperdícios fabris e automação.

A automação e digitalização garantem mais agilidade, controle e segurança nas fábricas. Ferramentas da Indústria 4.0 como Big Data, Inteligência Artificial, robótica, Realidade Aumentada e impressão 3D são cada vez mais utilizados pelas indústrias de bebidas no Brasil. “ Nossas linhas de produção foram concebidas com um nível de automação e digitalização que permite uma atuação preditiva da nossa manutenção, acompanhando e atuando de forma a maximizar a vida útil dos nossos componentes e equipamentos. Ainda na manutenção, a realidade aumentada permite a intervenção remota com o acesso aos nossos especialistas quando necessário, independente de sua localização física e sem fazer uso de deslocamentos desnecessários. Temos, ainda, startups parceiras que digitalizam nossos componentes e possibilitam a redução de capital empregado em peças com impressão 3D de componentes para utilização imediata ou usinagem de uma peça a partir de parceiros interligados num Sistema único para todas as fábricas. Os processos produtivos, que são enxutos em virtude do grau de robotização que utilizam, estão integrados e conectados, sendo que o monitoramento é feito remotamente. Além das áreas de produção e manutenção, também temos soluções da transformação digital em áreas como Utilidades e Logística”, explica Diego Gomes, diretor industrial do Grupo Petrópolis.

O projeto da fábrica nasceu segundo os pilares da Indústria 4.0, iniciando-se pela escolha de equipamentos de última geração no mercado cervejeiro, visando à máxima produtividade, a mínima geração de resíduos industriais e respeitando as melhores práticas de consumo de água e energia

O resultado dessa tecnologia empregada na fábrica é traduzido, entre outras coisas, em níveis altíssimos de eficiência, personalização, flexibilidade e agilidade no lançamentos de novos produtos e diferentes sku’s.

“Nossos colaboradores e o respeito
ao meio ambiente são nossos verdadeiros
diferenciais competitivos”, Diego Gomes

“A eficiência das linhas de uma fábrica como a nossa é de 92%, o que assegura uma produtividade world classe. E, o que é de suma importância, com índices baixíssimos de geração de resíduos e desperdícios, o que, além de contribuir para a sustentabilidade, assegura a produtividade e a rentabilidade”, garante o executivo.

Com o intuito de multiplicar os benefícios e garantir a formação do pessoal técnico, o Grupo Petrópolis estabeleceu parcerias no pilar Educação e Treinamento com o SENAI, que contribuirá não só para a formação de seus profissionais,como também para a comunidade local.

Diego Gomes reforça, “o nível de automação, assim como a integração dos equipamentos e a utilização de realidade aumentada são alguns dos parâmetros que nos fazem competitivos, mas são nossos colaboradores e o respeito ao meio ambiente que são nossos verdadeiros diferenciais competitivos”, reforça Diego Gomes.

Tecnologia de ponta

Com tecnologia alemã, a unidade de Uberaba possibilita metas arrojadas de produtividade e de aproveitamento dos recursos e matéria-prima. Os equipamentos, em sua maioria, são da Krones, tradicional fornecedor da indústria de bebidas. Equipamentos da área quente como Moinho, Tina de Mostura, Tina de Filtração, Cozinhador de Mosto e Recuperação de Energia de altíssima tecnologia foram instalados nessa fábrica. A área fria com sistema de Filtração, Fermentação Dinâmica e Blocos de Válvulas segue o mesmo conceito de modernidade e automação.

De olho no futuro de um mercado cada vez mais segmentado e com um consumidor em busca de produtos premium, a fábrica de Uberaba está equipada com uma sala de brassagem dimensionada também para produção de cervejas especiais. Possui sistema de moagem úmida de grãos e a mosturação é realizada com sistema que contribui para a melhora do teor de oxigênio e aumento da eficiência enzimática

De olho no futuro de um mercado cada vez mais segmentado e com um consumidor em busca de produtos premium, a fábrica de Uberaba optou pelo desenvolvimento de uma sala de brassagem dimensionada também para produção de cervejas especiais. Possui sistema de moagem úmida de grãos e a mosturação é realizada com sistema ultrassônico de vibração, o que contribui para a melhora do teor de oxigênio e aumento da eficiência enzimática. Também está equipada com sistema Combinado de Recuperação de Energia – Pfaduko/Strombolli, resultando no aumento da eficiência térmica.

 

ENERGIA, SUSTENTABILIDADE E ECONOMIA NA PRODUÇÃO CERVEJEIRA

Com tecnologias inovadoras e modernas, a planta industrial da Petrópolis de Uberaba possui níveis satisfatórios de consumo de energia. Para isso, entre outras coisas, o Grupo implantou um sistema de refrigeração que apresenta diferenciais tecnológicos, como o Reservatório de Termo Acumulação Estratificada e Sistema de Resfriamento Indireto, tecnologia exclusiva e patenteada pela Mayekawa, desenvolvida especialmente para a indústria de alimentos, bebidas e em sistemas de ar condicionado para processos.

Referência em Sistemas de Resfriamento Indireto, Termo Acumulação e Eficiência Energética, a tecnologia já é aplicada em mais de 30 projetos no país. O gerente da Divisão de Alimentos e Bebidas da Mayekawa do Brasil, Paulo Teixeira, cita os principais benefícios do Sistema, “o Reservatório de Termo Acumulação Estratificada e Sistema de Resfriamento Indireto, gera significativa economia de energia elétrica e mantém a estabilidade de temperaturas nos processos, garantindo a qualidade do produto final, maior produtividade e segurança operacional, dentro de um conceito de projeto sustentável final”, assegura.

Teixeira explica que a tecnologia patenteada Mayekawa faz a tarefa de volante térmico e no sistema de resfriamento indireto funciona como uma chave “on/off”. Durante o processo, em situações de menor carga térmica, ocorre a termo acumulação, a temperatura fria da solução ou da água atinge o topo do tanque e a lógica de controle do sistema desliga automaticamente as unidades resfriadoras, bombas, chillers, condensadores ou torres de resfriamento e bombas-torre. O processo continua a ser atendido apenas com as bombas-processo pelo tempo de autonomia do reservatório – de 20 minutos até 3 horas -, e quando a solução ou água aquecida atinge a parte inferior do reservatório, automaticamente é ativada a geração do frio e o sistema volta a realizar a termo acumulação no processo. Quando estiver em seu total funcionamento, a fábrica terá capacidade produtiva superior a 8,6 milhões de hectolitros de cerveja por ano, ou seja, 860 milhões de litros da bebida. Mesmo com esses números os gastos com energia elétrica não serão uma preocupação e, sim, um coadjuvante para o posicionamento da Petrópolis como uma das principais indústrias cervejeiras do país.

 

As adegas de fermentação e maturação receberam um projeto inovador com um sistema de refrigeração otimizado, com bombas de amônia 100 % herméticas, tanque estratificado de solução alcoólica e compressores frigoríficos com inversores de frequência que trabalham em regime de cascata, resultando em maior eficiência energética e segurança operacional. Essa área da fábrica está equipada com tanques com tecnologia de dry-hopping e fermentação dinâmica, além de blocos de válvulas automáticos e construídos com geometria otimizada, possibilitando a redução no consumo de produtos químicos. Todo o projeto mecânico de tubulações, máquinas e equipamentos, e automação de processos foi otimizado e pensado para redução de perdas, manutenção da qualidade (com menor incorporação de oxigênio) nas áreas de processo e envase da cerveja.

Sustentabilidade

Na concepção e definição do projeto aspectos relacionados à produtividade, eficiência, personalização, inovação foram pontos cruciais para a escolha das tecnologias empregadas na planta industrial. Muitos outros podem ser elencados, mas a sustentabilidade foi um tema fundamental nas decisões, tendo a eficiência energética em destaque. Segundo dados apresentados pela Mayekawa, fornecedor do Sistema de refrigeração da fábrica de Uberaba, para cada litro de cerveja produzida no Brasil, atualmente, a indústria cervejeira consome entre 7 a 12 kWh/hl de energia elétrica, variando de acordo com a produção e a linha de produtos de cada empresa.

Eletricidade é, portanto, um insumo fundamental na produção cervejeira, e que pode resultar custos muito elevados quando não observados as boas práticas de operação. Um sistema de refrigeração adequado contribui significativamente para a economia de energia na planta, uma vez que a refrigeração é vital para a produção e a qualidade final do produto e, justamente por estar em funcionamento durante todo o tempo de produção, acaba sendo o maior consumidor de energia.

A fábrica de Uberaba foi concebida e construída com o objetivo de reduzir ao máximo a geração de resíduos, utilizando com eficiência os materiais e bens naturais, como água e energia. Utiliza biomassa como matriz energética, aumentando a eficiência da geração e reduzindo impactos ambientais. O projeto civil contemplou também ações de economia de energia, como: uso de lâmpadas de LED, que diminui o consumo de energia em 3 vezes; Iluminação natural das linhas de envase e áreas de processo; utilização de ventilação natural na área de fabricação; utilização de aquecedor solar para aquecimento da água dos banheiros e vestiários; sistema de ar condicionado com unidades de expansão direta por serpentinas resfriadas com água gelada; isolamento térmico no teto, sendo esse um recurso utilizado em 90% da fábrica, evitando que o ambiente não esquente e conserve mais os produtos e o conforto térmico para os colaboradores. Além disso, um tanque de 10 milhões de litros foi instalado para armazenar a água tratada proveniente da água da chuva. É a chamada Água de Reuso, usada para lavar a fábrica, descarga etc.

 

SOLUÇÕES CUSTOMIZADAS

A Prozyn oferece soluções capazes de reduzir ou neutralizar os efeitos dos mecanismos naturais de degradação da qualidade da cerveja, assim como enzimas, coadjuvantes de tecnologia de fabricação, soluções para estabilidade da cerveja e formação da espuma, além de diversos outros produtos utilizados na fabricação de bebidas alcoólicas e não alcoólicas.

A empresa dispõe de um portfólio de enzimas considerado um dos mais completos no mercado Sul-Americano, oferecendo soluções tanto para o processamento de ingredientes para bebidas (ex.: extratos, frutas, cereais e açúcar), como para os segmentos de bebidas não alcoólicas(refrigerantes, sucos, néctares, chás, bebidas de cereais etc.) e de bebidas alcoólicas (cerveja, vinho, destilados e bebidas mistas), tendo como maior diferencial o desenvolvimento de soluções customizadas e de custo de aplicação para cada segmento, além de estrutura de suporte técnico com profissionais especializados e oriundos do mercado de bebidas. Recentemente, a empresa inaugurou uma moderna planta-piloto de cervejaria para testes e desenvolvimento de novos produtos.

 

Os investimentos em tecnologia e em um projeto inovador permitem à fábrica de Uberaba atingir a marca de 3,3 litros de uso de água para cada litro de cerveja, um resultado alcançado apenas por cervejarias de alto padrão de produção e referência internacional.

“A infraestrutura para ampliação já existe, a região de Uberaba tem água de excelente qualidade e a fábrica já possui uma logística muito avançada”, Marcelo Sá

O Grupo Petrópolis vai aplicar os projetos ambientais existentes em outras unidades também em Uberaba. Um deles é o Projeto AMA – Área de Mobilização Ambiental, realizado nas escolas. Além disso, terá ações socioambientais com a comunidade, com plantio e cuidado de árvores.

Fábrica já nasceu com ampliação

Inaugurada há alguns meses, a fábrica de Uberaba já começa a receber novos investimentos para ampliar sua capacidade de produção. Uma quinta linha de envase vai aumentar a capacidade de produção da unidade de 8,5 milhões para 11,4 milhões de hectolitros por ano, um investimento de R$ 135 milhões. Além desse valor, a empresa também planeja investir no estado, em 2021, mais R$ 95 milhões em frota, revendas, trade, marketing e novos negócios, somando assim um total de R$ 230 milhões.

A ampliação vai adicionar 9,4 mil m² no terreno da fábrica, que hoje funciona em uma área de mais de 108 mil m². Marcelo de Sá, diretor executivo do Grupo Petrópolis, comenta: “Percebemos um potencial de crescimento e realizamos um novo investimento. A infraestrutura para a ampliação já existe, a região de Uberaba tem água de excelente qualidade e a fábrica já possui uma logística muito avançada. Teremos a maior fábrica do Grupo Petrópolis em Uberaba”.

Siga-nos nas Redes Sociais:

Linkedin Instagram Youtube Facebook 

Deixe seu comentário