Exportações de vinhos e espumantes crescem mais de 60%

De janeiro a setembro de 2021,
vinícolas ampliaram em 62%
a saída de bebidas na comparação
com mesmo período do ano anterior

A qualidade de vinhos e espumantes brasileiros ganha cada vez mais reconhecimento e, consequentemente, a ampliação de áreas de atuação no mercado internacional. Estudo apresentado ao Conselho de Planejamento e Gestão da Aplicação de Recursos Financeiros para Desenvolvimento da Vitivinicultura do Estado do Rio Grande do Sul (Uvibra-Consevitis-RS) pela Ideal Consulting, empresa de auditoria de importação e inteligência de mercado, mostra que de janeiro a setembro de 2021 o Brasil exportou 690,4 mil caixas de 9 litros das bebidas, o que representa crescimento de 62% em relação ao mesmo período de 2020.

Do total, os vinhos tranquilos apresentaram crescimento de 66% no volume exportado nos nove primeiros meses do ano, enquanto os espumantes apresentaram alta de 36%. Em valor, o crescimento total foi de 54%, somando U$ 9,5 milhões.

O Rio Grande do Sul continua sendo o Estado que concentra a maior parte das exportações brasileiras, com 92,5% do valor total, seguido por São Paulo e Paraná. Os espumantes continuam mostrando seu potencial e oportunidade de crescimento nos Estados Unidos, destino de 87% das exportações dessa categoria e que registrou crescimento de 57% em volume e 53% em valor. Já os vinhos tranquilos continuam tendo o Paraguai como principal destino, com 79% das exportações.

De acordo com Felipe Galtaroça, diretor da Ideal Consulting, o bom resultado se deve por um conjunto de fatores, entre eles a desvalorização da moeda brasileira, a excelente safra 2020 e o eficiente trabalho de brand realizado pelas vinícolas e associações nos mercados-alvo, como Estados Unidos e China.

Mercado interno

Em setembro de 2021, a comercialização das vinícolas nacionais somadas às importações de vinhos e espumantes registrou 49 milhões de litros, volume 3% menor em comparação ao mesmo mês de 2020, no entanto, se comparado a 2019, período de pré-pandemia, as vendas representaram alta de 32%. No acumulado de janeiro até setembro de 2021, o mercado movimentou 355,3 milhões de litros, volume 2% menor que o mesmo período de 2020.

Quando comparados os últimos 12 meses, outubro de 2020 a setembro de 2021, o mercado movimentou 492,5 milhões de litros, volume 2% superior ao mesmo período de 2019/2020.

Nos nove primeiros meses de 2021, os espumantes brasileiros representaram 84% no mercado total, com crescimento de 58% na comercialização. Já no acumulado do ano, de outubro 2020 a setembro 2021, foi registrada alta de 22% nas vendas. O vinho fino brasileiro permanece em alta, com crescimento de 30% no mesmo período e os vinhos importados 15%.

Luciano Rebellatto, coordenador da Uvibra-Consevitis-RS, destaca que o setor está apresentando ótimos resultados, com o grande desafio de manter, em 2022, a alta de consumo e comercialização de vinhos brasileiros notada em 2020 e 2021. “As exportações de nossos produtos têm sido um caminho secundário de comercialização que vêm se solidificando cada vez mais, como mostram os números de valor e volume exportados. Outro ponto que não podemos deixar passar é o lançamento da campanha publicitária de apoio ao consumo de vinho brasileiro, lançada em outubro, que vem ao encontro dos nossos objetivos estratégicos. ‘Vinho pode tudo. E tudo pede vinho’ tem o foco no mercado interno e tem reverberado ótimos resultados por todo Brasil”, comemora Rebellatto.

Crédito: Fabiano Sperotto

Siga-nos nas Redes Sociais:

Linkedin Instagram Youtube Facebook 

 

Deixe seu comentário