Catharina Sour incorpora variedade brasileira de frutas

Variedade de frutas chama atenção
do consumidor e mostra diversidade brasileira

A biodiversidade brasileira é facilmente representada pelas feiras: em cada estado, além de itens comuns, há variedades regionais e sazonais muito características. É por isso que a Catharina Sour representa bem o país na estreia dos estilos de cerveja criados por aqui no Beer Judge Certification Program (BJCP). Para que um cervejeiro crie essa receita, ele impreterivelmente seleciona uma ou várias frutas e especiarias para adicionar a uma base ácida e muito refrescante.Esse conjunto de características marcantes e as infindáveis possibilidades de combinações renderam à Catharina Sour, apenas cinco anos depois de ser lançada, o posto inédito em um dos mais importantes guias internacionais da bebida.Para celebrar a Catharina Sour e apresentá-la aos consumidores, o Movimento Toda Cerveja reuniu 64 cervejarias de 10 estados brasileiros que lançam, no mesmo dia, seus rótulos no estilo. Cada uma com sua receita, porém com identidade visual e data de lançamento iguais: todas chegam ao mercado no dia 19 de janeiro.A lista de frutas que as cervejarias participantes escolheram é extensa. Entre elas estão: abacaxi, acerola, amora, araçaúna, butiá, cacau, café, cajazinho, cupuaçu, framboesa, goiaba, graviola, jaca, jabuticaba, variedades de laranja e limão, mamão, manga, maracujá, mirtilo, morango, pêssego, pitaya, seriguela, tangerina, variedades de uva e uvaia. Especiarias e outros itens como casca de laranja, capim cidreira, matcha e tomilho também fazem parte das combinações.

Um dos criadores do estilo, Idney José da Silva Jr, o Nuno, comenta que a possibilidade de degustar a diversidade dos biomas brasileiros desperta a curiosidade pela Catharina Sour. “Além disso, por não ter um marcador que assuste ao público que está começando a provar cervejas – como um amargor pronunciado, por exemplo – ela consegue se tornar uma boa porta de entrada para outros estilos. Além de ser muito refrescante, que é a sua principal característica”, diz.Para Nuno, ter a Catharina Sour como tema de uma ação sincronizada de lançamento como a que vai ocorrer no dia 19 de janeiro traz à tona o que fez o estilo ganhar espaço muito rapidamente. “Além da inovação, a Catharina Sour conquistou o espaço no mercado internacional também por um movimento coletivo: várias cervejarias produzindo e lançamento ao mesmo tempo. Certamente esse dia vai ser um novo marco na história do estilo, com essas 64 receitas sendo apresentadas simultaneamente”, finaliza. A cervejaria Liffey, da qual Nuno faz parte, é uma das participantes.

Siga-nos nas Redes Sociais:

Linkedin Instagram Youtube Facebook 

 

Deixe seu comentário