Lata de alumínio cresce 13,7% em 2019

As fabricantes de latinhas venderam cerca de 30 bilhões de unidades

As latas de alumínio ganham cada vez mais espaço entre os consumidores brasileiros. No ano passado, o setor registrou crescimento de dois dígitos (13,7%) em relação a 2018 (8,5%).

Ao todo, as quatro fabricantes de latinhas instaladas no país venderam 29,6 bilhões de unidades no ano passado. O presidente executivo da Abralatas, Cátilo Cândido, comemora os resultados. “Fatores como o aumento da demanda do consumidor por conveniência e a alteração do perfil do público por produtos mais sustentáveis levaram as fabricantes de bebidas a investir na expansão ou substituição de suas embalagens”.

Como exemplo, ele cita que em 2009 as latas representavam 32% do mercado de cerveja e hoje já representam mais de 50%. “Nesse período de dez anos, os fabricantes brasileiros de latas entenderam as demandas dos consumidores, usaram novas tecnologias de impressão, mostraram que a embalagem é mais leve e pode ser uma opção interativa, além de ser mais fácil de transportar”, relata.

Economia circular

A sustentabilidade é um dos seus principais pilares da lata de alumínio para conquistar o mercado de bebidas. Atualmente, o Brasil possui uma das maiores taxas de reciclagem do mundo, com 97,3%. “O desafio aqui é aumentar o envolvimento do consumidor nessa causa. Acredito que a lata tem uma grande sinergia com a geração que está alcançando o poder de compra. Com esse crescimento potencial, prevejo um mercado em expansão dentro de cinco anos, com uma ampla gama de produtos, mais unidades fabris e o mais importante de tudo, a população o reconhecerá como o pacote mais sustentável do planeta”, observa Cátilo.

Deixe seu comentário