Sustentabilidade na indústria de água mineral

Aplicar as boas práticas de sustentabilidade é fundamental para o futuro e bom andamento
dos negócios das empresas no cenário corporativo mundial

Carlos Donizete Parra

“Reduzir material significa, automaticamente, diminuir a utilização
de recursos para a produção como um todo. O ciclo produtivo inteiro é impactado, o que gera um produto muito mais sustentável”, Aline Telles Chaves, Diretora da Naturágua

As empresas estão bastante atentas aos temas relacionados ao desenvolvimento sustentável, em especial as indústrias de água mineral que precisam proteger suas fontes da degradação ambiental e oferecer produtos seguindo esses mesmos preceitos.

Do ponto de vista do mercado, as novas gerações estão alinhadas com as práticas mais atuais de preservação do meio ambiente e, na maioria das vezes, decidem suas escolhas de produtos e marcas de acordo com esses padrões.

De um modo geral cresce a conscientização e o envolvimento de todos nas questões ambientais. O ESG – sigla em inglês para Environmental Social and Governance- que em português significa Ambiental, Social e Governança – ganha destaque nas pautas corporativas sendo balizador, inclusive, para investimentos de grandes grupos financeiros, assim como para tendências de mercado em todas as áreas da economia.

Para Aline Telles Chaves, Diretora da Naturágua, engarrafadora de água mineral que faz parte do Grupo Telles formado por sete empresas – Agropaulo, Ceará Mirim, Ypetro, Naturágua, Yplastic, Santelisa Embalagens e IPark Complexo Turístico, o setor de água mineral é um dos mais sustentáveis do mercado. “No processo produtivo da água mineral não há adição nem retirada de componentes, não há transformação no processo e, portanto, não há praticamente geração de subprodutos. Na Naturágua, até a energia é renovável, pois estamos inaugurando um parque solar (planta de 5 megawatts) em nossa unidade de descartável, em Horizonte/CE. Ademais possuímos ETE, ETAR e ainda uma ÁRIE (Floresta Curió) com mais de 60 hectares de área preservada, entre outras inúmeras iniciativas”, explica a executiva, citando ainda as embalagens sustentáveis como uma preocupação mundial e uma grande tendência no setor de água mineral. “Elas deverão constituir boa parte das inovações nesse mercado nos próximos anos”, projeta Aline.

Inovar e ser mais sustentável
é uma premissa e uma realidade
para a indústria mundial atualmente

Em 2019, a Naturágua realizou investimentos de 13 milhões de reais na aquisição de equipamentos e tecnologias que permitiram o desenvolvimento de uma embalagem com 30% menos plástico.
Mudanças climáticas, alterações na matriz energética e escassez dos recursos hídricos, destinação das embalagens, entre outras questões relacionadas ao meio ambiente afetam diretamente a vida das pessoas, assim como os resultados das empresas no mercado. Isso acende o alerta da necessidade da ampliação de estratégias empresariais que possam equilibrar o desempenho financeiro, social e ambiental.

“A sustentabilidade da indústria de água mineral vai muito além do uso de embalagem reciclável. Precisa focar nas estratégias e ações desenvolvidas pelas engarrafadoras”, defende Luciana Rambalducci, Diretora da Água Pedra Azul, engarrafadora com mais de 30 anos no mercado capixaba e uma das principais empresas do setor no país.

“A sustentabilidade da água mineral vai muito além das embalagens recicláveis”, Luciana Rambalducci,
Diretora, Água Pedra Azul

Entre as ações realizadas pela Água Mineral Pedra Azul, por exemplo, está a conscientização de seus colaboradores sobre a importância da sustentabilidade para uma indústria de água mi-neral. “Além de se preocupar com todo o entorno das fontes, plantando mudas nativas e mantendo uma grande área verde protegida, estamos empenhados na criação de um processo de reaproveitamento da água proveniente da produção, além da implantação da energia solar em toda a fábrica. Hoje cerca de 50% da energia consumida em nossa indústria provém de fonte solar. Ações de reflorestamento, otimização do uso de energia e da água, reciclagem de resíduos e reutilização de água estão sendo aplicadas em nossa indústria resultando em ganhos”, explica Luciana Rambalducci.

“A qualidade da água fornecida pela rede pública tem favorecido o consumo de água mineral. Existe ainda um grande mercado a ser explorado nos próximos anos”, Francisco Magalhães da Rocha, Presidente, Psiu Indústria de Bebidas

Francisco Magalhães da Rocha, Presidente da Psiu Indústria de Bebidas compartilha das opiniões sobre a necessidade da implementação de práticas sustentáveis que possam permear a empresa e a sociedade como um todo.

“Não há como sobreviver sem sustentabilidade social, econômica e ambiental. As exigências fiscais são muito grandes em nosso país. Isto revela que estamos construindo uma sociedade cada vez mais consciente com os aspectos desta construção mais equilibrada em todos os sentidos. A água é um bem vital e cada vez mais escasso. Há uma preocupação mundial com relação à preservação do meio ambiente, como base para preservação da vida. No Brasil, as condições de saneamento e da qualidade da água fornecida pelas empresas de saneamento, têm elevado o consumo de água mineral. Entendo que há um grande mercado ainda a ser atendido nos próximos anos e décadas vindouras”, garante Francisco da Rocha.

Definido há décadas, o conceito de desenvolvimento sustentável significa atender às necessidades da geração atual sem prejudicar o direito das futuras gerações de atenderem às suas. Uma diretriz que pode servir de orientação para sustentabilidade corporativa e inspiração para modelos de negócios geradores de resultados no longo prazo são os dezessete objetivos do desenvolvimento sustentável para 2030, lançados pela ONU.

“O estímulo ao uso consciente e efetivo dos instrumentos de governança são a fonte de inspiração dos empresários para atuarem nos desafios da sustentabilidade”, Ana Giovannoni, Vice presidente de Governança no HUBRH+ da Associação Brasileira de Profissionais
de Recursos Humanos

“O estímulo ao uso consciente e efetivo dos instrumentos de governança, focando a essência das boas práticas, bem como ampliando o olhar sobre as diversas partes interessadas (stakeholders), são a fonte de inspiração para os empresários atuarem nos desafios no campo da sustentabilidade corporativa nos negócios”, explica Ana Giovannoni, CEO do Grupo Giovanoni, Vice-presidente de Governança no HUBRH+ da Associação Brasileira de Profissionais de Recursos Humanos, com atuação na área de Consultoria Organizacional e Governança Corporativa.

“Isso é realmente bastante inspirador e um modelo a seguir. Sustentabilidade é estar na vanguarda do que o mundo está cobrando de todos nós”, acredita Cleomildo de Melo Freire, Diretor da Minalinda Água Mineral Fluoretada. “Na Minalinda montamos uma usina fotovoltaica com capacidade de 26.000 Killowats, além de fossa séptica devolvendo para a natureza água limpa. Também estamos implantando um sistema de reuso da água para uso doméstico, mas temos certeza que muito ainda precisamos avançar neste tema de sustentabilidade!

“Temos que investir em sustentabilidade, inovação e melhoria contínua”, Cleomildo de Melo Freire, Diretor, Minalinda Água Mineral Natural Fluoretada

Olhando para o cenário atual, Cleomildo acredita que a água mineral brasileira vai ganhar mercado no mundo todo. “Temos que investir constantemente em sustentabilidade, inovação e melhoria contínua.

Vamos chegar lá! Os americanos gastam fortunas procurando água em outros planetas. Nós já temos no planeta terra, é só preservar. Infelizmente precisamos investir muito ainda em saneamento básico, enquanto isso nossa água mineral vai contribuindo com a saúde de nosso país”, finaliza o executivo da Minalinda.

 

 

Siga-nos nas Redes Sociais:

Linkedin Instagram Youtube Facebook 

 

 

Deixe seu comentário