Mais de 1000 fábricas de cervejas

Há 10 anos, eram apenas 255. Número levantado pelo Mapa mostra
crescimento do mercado no país e aponta expansão das cervejarias artesanais

 

Carlos Donizete Parra

 

O setor de cerveja artesanal no Brasil alcançou em maio um feito surpreendente. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) registrou na última semana a cervejaria de número mil no país. Isso significa que, só em 2019, foram 111 novas fábricas autorizadas em 150 dias – uma média de 22 ao mês. Para se ter uma ideia da expansão do segmento, o ano de 2009 terminou com 255 indústrias ativas. Em 10 anos, o número praticamente quadruplicou.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), Carlo Lapolli, as marcas independentes que produzem cerveja artesanal são, claramente, as responsáveis por essa expansão. “As grandes fábricas multinacionais não anunciaram um número significativo de novas plantas neste período. Por outro lado, ganharam notoriedade, espaço de gôndola e conquistaram o consumidor as empresas que prezam por um produto de qualidade, com matérias-primas superiores e atributos sensoriais que essas marcas não entregam”, diz.

Boom se concentrou na última década

Pela análise quantitativa do Mapa, a explosão no número de cervejarias aconteceu na última década, de uma forma ainda mais intensa de cinco anos para cá. De 1999 até 2009, a quantidade de fábricas saltou de 192 para 255, registrando uma ampliação de 32,8%. Já de 2009 para 2019, o salto chegou a mil, um crescimento de 292,1%.

Desde 2014, a quantidade de cervejarias aumenta em torno de dois dígitos ao ano no Brasil. Só em 2018, foram 210 novas fábricas: 30,9% a mais do que em 2017.

Novos investimentos

O crescimento do consumo de cervejas artesanais propicia a entrada de novos investidores no mercado e as fábricas já consolidadas são alvos freqüentes desses empreendedores.

Um desses negócios aconteceu, recentemente, em um dos principais pólos cervejeiros do país, a cidade de Ribeirão Preto, em São Paulo. A Cervejaria Lund foi comprada pela holding BGF Alliance, criada por um grupo de investidores que já atua como fornecedor do mercado de bebidas há muitos anos. Com o negócio, os empresários esperam colocar a marca em evidência e aumentar seu crescimento por meio de melhorias em toda a sua estrutura.

Lund vai investir R$ 10 milhões em capacidade produtiva, pontos de vendas e novas cervejas

“A meta é consolidar ao longo dos próximos cinco anos o investimento de R$ 10 milhões. Com a LUND, nosso compromisso é manter os produtos já existentes, que são sucesso em qualidade, aumentar a capacidade produtiva, abrir novos pontos de delivery em Ribeirão Preto e região e criar novas cervejas sazonais com o mesmo mestre cervejeiro”, informa Mário Garrefa, presidente da BGF Alliance.

A transição da gestão da empresa está sendo conduzida de forma ponderada, com o intuito de preservar o DNA cervejeiro da Lund, sua tradição familiar e o cuidado na fabricação dos produtos, conhecidos pela homogeneidade e equilíbrio nos sabores. ‘‘Nosso grupo já está no mercado cervejeiro há 30 anos, tendo em seu portfólio de empresas uma fabricante de equipamentos para cervejarias, uma indústria de manutenção em usinas, um comércio de materiais industriais de inox e um CDCA (Centro de Desenvolvimento Cervejeiro e Alimentício). Nos faltava apenas a melhor cervejaria artesanal de Ribeirão para completar o nosso leque. Estamos felizes pelo excelente negócio fechado não só para nós, mas principalmente para os apreciadores de uma boa cerveja”, destacou Bruno Garrefa, sócio-diretor da holding.

Fundada em 2008 pelo casal Yussif Ali Mere Júnior e Dalva Ali Mere, a Lund conta com um portfólio com oito estilos de cervejas de linha: Pilsen, Wit Bier, Weizen, Belgian Pale Ale, Munich Dunkel, American Pale Ale e India Pale Ale, além dos produtos sazonais.

Novas experiências ao consumidor

Com investimento de cerca de 10 milhões de reais em estrutura produtiva, marketing e distribuição, a Start Up Brewing aposta no conceito user experience para conquistar consumidores por todo o estado de São Paulo e regiões vizinhas. No Mondial de la Bière, a empresa apresentou sua segunda marca e as cervejas que foram desenvolvidas com o novo conceito. A UX Brew foca em qualidade e tem como objetivo proporcionar novas experiências ao consumidor. Chega ao mercado com três rótulos no portfólio, sendo dois colaborativos, em parceria com cervejarias conceituadas no Brasil e no exterior. A UX Sparks (ABV 8,5% / IBU 22) é uma delas. Uma Brut IPA colaborativa com a Lamplighter, de Cambridge (USA), em garrafa de 750 ml, seca, leve e refrescante. De cor amarela acobreada, o amargor médio e o agradável aroma de lúpulos e abacaxi fazem deste rótulo uma cerveja de fácil drinkablity.

A UX Brew pretende levar experiências diferenciadas através de sabores inusitados

Em parceria com a Dogma, a UX Brew produziu a UX Words of Denderah (ABV 9 % / IBU 60), uma Juicy Imperial IPA de corpo médio e aroma frutado, com muita fruta amarela em primeiro plano, que no sabor explodem junto a uma grande carga de lúpulos (Citra, Vic Secret e Simcoe) que compõe a receita desta Double NEIPA. O nome do rótulo é inspirado num templo egípcio sagrado com mais de 13.000 anos – o Denderah, onde foram encontrados hieróglifos de aviões, helicópteros e lâmpadas elétricas. Recém-lançado, esse rótulo já foi premiado no Mondial de la Bière.

O terceiro rótulo é UX 17. The Brightest Star (ABV 8,5% / IBU 20), uma Saison com adição de suco de maçã, que traz no aroma frutas brancas (maçãs, uvas e peras) e especiarias com suave dulçor condizente ao seu sabor balanceado. De carbonatação média, apresenta leve acidez e álcool bem inserido.

“Nossa proposta é apostar em estilos simples, mas não em processos óbvios, comentam André Franken e André Kunrath, sócios fundadores da Startup Brewing e cervejeiros da UX Brew. Por isso, a Startup Brewing está investindo na construção de uma adega climatizada a 18 graus, com capacidade para até 120 barricas, de 220 litros cada. A ideia é que a área seja destinada, em sua maioria, à maturação e envelhecimento de rótulos da UX Brew já no segundo semestre deste ano, oferecendo ao consumidor experiências ainda mais elaboradas e qualitativas

Deixe seu comentário