Fatores decisivos na escolha do que comer ou beber

Quase metade dos consumidores declaram que “baixo teor de açúcar ou sem açúcar” e
“sem organismos geneticamente modificados (OGMs)” são fatores muito ou extremamente
importantes na decisão sobre que alimentos ou bebidas consumir

A GfK perguntou a 23.000 consumidores online, em 17 países, qual é a importância de certos fatores, apresentados em uma lista, na hora de decidir o que comer ou beber. Quase metade deles (48%) declarou que os produtos com baixo teor de açúcar ou sem açúcar são “extremamente” ou “muito” importantes para eles. E uma quantidade similar de consumidores declarou a mesma coisa para produtos sem organismos geneticamente modificados (OGMs).

Produtos com baixo teor de sódio ou baixo teor de sal ficaram em terceiro lugar, com 45%. O quarto lugar foi um empate entre os produtos orgânicos, produtos com baixo teor de gordura ou sem gordura e produtos enriquecidos com vitaminas ou minerais. Eles representam, igualmente, 44% dos consumidores que classificaram esses fatores como muito ou extremamente importantes, ao tomar uma decisão sobre o que comer ou beber.

Classificação em % de cada item “muito” ou “extremamente” importante, ao decidir o que comer ou beber

É um produto com baixo teor de açúcar ou sem açúcar – 48%

É um produto sem organismos geneticamente modificados (OGMs) – 48%

É um produto com baixo teor de sódio ou baixo teor de sal – 45%

É um produto orgânico ou feito com ingredientes orgânicos – 44%

É um produto com baixo teor de gordura ou sem gordura – 44%

É um produto enriquecido com vitaminas ou minerais  – 44%

É um produto produzido localmente ou que usa ingredientes locais – 38%

É um produto que contém prebiótico ou probiótico – 35%

É um produto sem glúten – 26%

Nenhum dos fatores acima – 12%

Pesquisa da GfK com 23.000 usuários da internet com mais de 15 anos em 17 países.

Múltiplas respostas possíveis.

Produtos orgânicos, probióticos, enriquecidos e sem glúten
são mais importantes para pessoas com menos de 40 anos

Os compradores mais seletivos de alimentos e bebidas são aqueles na faixa etária de 30 a 39 anos. Esse grupo quase sempre tem a maior percentagem de fatores de classificação como “muito” ou “extremamente” importante.

Também digno de nota é que os produtos orgânicos, enriquecidos com vitaminas ou minerais, prebióticos ou probióticos ou sem glúten são mais importantes entre pessoas com menos de 40 anos do que entre pessoas com mais de 40 anos.

Impactos da renda e do gênero

Como esperado, as pessoas de famílias de renda mais alta atribuem consistentemente mais importância a todos os fatores, em comparação com a pessoas de famílias de renda mais baixa.

Entre as famílias de alta renda, os fatores mais importantes são produtos sem OGMs (55%), baixo teor de açúcar ou sem açúcar (54%) e baixo teor de sódio ou de sal (52%). Entre as famílias de baixa renda, os alimentos sem OGMs e baixo teor de açúcar ou sem açúcar também são os dois mais importantes, mas foram mencionados por uma percentagem significativamente menor (44% e 43% respectivamente). E o terceiro fator mais importante para esse grupo registra um empate entre produtos orgânicos e produtos enriquecidos com vitaminas e minerais (41%).

O gênero quase não faz diferença na classificação que as pessoas atribuem aos fatores de decisão. Os homens, ligeiramente mais do que as mulheres, dão mais importância a produtos locais, produtos enriquecidos, prebióticos ou probióticos e sem glúten, mas a diferença, em cada um dos casos, é de apenas três pontos percentuais.

Chineses são os mais seletivos

Em oito dos nove fatores de decisão pesquisados, a China fica em primeiro lugar por ter a maior percentagem entre os que atribuem maior importância em cada um dos itens, ao decidir o que comer ou beber. A exceção é apenas no que se refere a produtos locais, em que a Itália toma a liderança.

A maior diferença entre a China e outros países é observada no que se refere à preferência por produtos prebióticos ou probióticos. A China se posiciona 21 pontos percentuais acima do país que vem em segundo lugar, com mais da metade de sua população online atribuindo alta importância a esse fator.

Faça o download do relatório de cortesia da GfK sobre “fatores da decisão sobre o que comer e beber” para conhecer dados demográficos essenciais para cada um dos 17 países incluídos nesta pesquisa.

Deixe seu comentário