Grupo Petrópolis reforça diferenciais competitivos com fábrica de Uberaba

Unidade mineira é a maior da companhia
e consolida o projeto de crescimento sustentável do Grupo

Carlos Donizete Parra | Fotos: Divulgação

Com um olhar voltado aos negócios, a inovação e ao futuro do planeta, o Grupo Petrópolis, única grande empresa do setor cervejeiro com capital 100% nacional, deu mais um passo gigantesco rumo à sua trajetória de crescimento no mercado brasileiro de bebidas. A nova fábrica do Grupo Petrópolis, instalada na cidade de Uberaba/MG, faz parte de um investimento de R$ 1,2 bilhão. O empreendimento é responsável pela geração de cerca de 3,7 mil novos empregos, direta e indiretamente, desde o início das obras, impulsionando fortemente o desenvolvimento e a economia locais.

A utilização de recursos da Indústria 4.0, além de inovações tecnológicas em processos e produção fazem da nova unidade uma das mais modernas do setor cervejeiro no mundo. Isso tudo sem perder de vista a sustentabilidade e a criação de um ambiente de trabalho moderno e confortável aos colaboradores da unidade recém inaugurada.

A fábrica mineira é a oitava unidade do Grupo Petrópolis, que já conta com cervejarias no Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Pernambuco e Mato Grosso. Localizada na Rodovia BR 050, no Km 188, a nova fábrica tem 108 mil m² de área construída, o que equivale a quase 15 campos de futebol. Além disso, possui 190 mil m² de área gramada. Ao todo, são 14 edificações administrativas e 22 industriais.

Quando estiver com seu funcionamento total, a unidade terá capacidade produtiva superior a 8,6 milhões de hectolitros de cerveja por ano, ou seja, 860 milhões de litros da bebida. Tem quatro linhas de engarrafamento com capacidade para o envase de 256 mil latas/hora e 140 mil garrafas/hora. Toda cerveja produzida pela fábrica de Uberaba será distribuída para as cidades de Minas Gerais e dará suporte para regiões como Norte e Noroeste de São Paulo, além de Goiás e Distrito Federal, por exemplo.

Dentre as marcas de seu portfólio, a unidade de Uberaba vai produzir as cervejas Crystal, Lokal, Itaipava, Itaipava Premium, Petra e Cacildis, atendendo a demanda dos produtos de acordo com a necessidade de mercado.

Esse investimento reforça o potencial de crescimento da empresa em Minas Gerais, visto que sua participação de mercado, até então, só não era maior por não ter produção suficiente para conseguir atender a toda demanda. Atualmente, o estado consome 14% de toda cerveja produzida no país e representa um importante mercado para o setor cervejeiro.

“O Grupo Petrópolis tem aproximadamente 9,5% de participação do mercado de cerveja em Minas Gerais. Levando em consideração que nosso share médio nacional é de 14,5%, então temos um bom desafio pela frente até chegarmos em nossa média nacional. Mas não queremos ficar nisso, visto que – nos estados em que temos fábrica – nossa participação de mercado sempre é maior. Com a nova fábrica, teremos capacidade produtiva para atender praças onde nossa presença era tímida. Com isso, pretendemos aumentar o share da companhia para 16%, até 2021”, garante Diego Gomes, diretor industrial do Grupo.

Projeto inovador

O projeto da fábrica nasceu segundo os pilares da Indústria 4.0, iniciando-se pela escolha de equipamentos de última geração no mercado cervejeiro, visando à máxima produtividade, a minima geração de resíduos industriais e respeitando as melhores práticas de consumo de água e energia. O projeto civil também contemplou as melhores práticas de mercado e melhorias específicas da equipe de Engenharia Civil. Foi adotado um layout que contribui para o mínimo deslocamento dos insumos e produtos na fábrica, o que contribui para a eficiência fabril, além de já prever a possibilidade de expansões futuras sem prejuízo ao meio ambiente. Os equipamentos foram integrados por sistemas que permitem o acompanhamento online do desempenho de cada linha de produção. A fábrica segue os pilares: fluxo contínuo, redução de desperdícios fabris e automação.

A automação e digitalização garantem mais agilidade, controle e segurança nas fábricas. Ferramentas da Indústria 4.0 como Big Data, Inteligência Artificial, robótica, Realidade Aumentada e impressão 3D são cada vez mais utilizados pelas indústrias de bebidas no Brasil. “ Nossas linhas de produção foram concebidas com um nível de automação e digitalização que permite uma atuação preditiva da nossa manutenção, acompanhando e atuando de forma a maximizar a vida útil dos nossos componentes e equipamentos. Ainda na manutenção, a realidade aumentada permite a intervenção remota com o acesso aos nossos especialistas quando necessário, independente de sua localização física e sem fazer uso de deslocamentos desnecessários. Temos, ainda, startups parceiras que digitalizam nossos componentes e possibilitam a redução de capital empregado em peças com impressão 3D de componentes para utilização imediata ou usinagem de uma peça a partir de parceiros interligados num Sistema único para todas as fábricas. Os processos produtivos, que são enxutos em virtude do grau de robotização que utilizam, estão integrados e conectados, sendo que o monitoramento é feito remotamente. Além das áreas de produção e manutenção, também temos soluções da transformação digital em áreas como Utilidades e Logística”, explica Diego Gomes, diretor industrial do Grupo Petrópolis.

O projeto da fábrica nasceu segundo os pilares da Indústria 4.0, iniciando-se pela escolha de equipamentos de última geração no mercado cervejeiro, visando à máxima produtividade, a mínima geração de resíduos industriais e respeitando as melhores práticas de consumo de água e energia

O resultado dessa tecnologia empregada na fábrica é traduzido, entre outras coisas, em níveis altíssimos de eficiência, personalização, flexibilidade e agilidade no lançamentos de novos produtos e diferentes sku’s.

“Nossos colaboradores e o respeito
ao meio ambiente são nossos verdadeiros
diferenciais competitivos”, Diogo Gomes

“A eficiência das linhas de uma fábrica como a nossa é de 92%, o que assegura uma produtividade world classe. E, o que é de suma importância, com índices baixíssimos de geração de resíduos e desperdícios, o que, além de contribuir para a sustentabilidade, assegura a produtividade e a rentabilidade”, garante o executivo.

Com o intuito de multiplicar os benefícios e garantir a formação do pessoal técnico, o Grupo Petrópolis estabeleceu parcerias no pilar Educação e Treinamento com o SENAI, que contribuirá não só para a formação de seus profissionais,como também para a comunidade local.

Diego Gomes reforça, “o nível de automação, assim como a integração dos equipamentos e a utilização de realidade aumentada são alguns dos parâmetros que nos fazem competitivos, mas são nossos colaboradores e o respeito ao meio ambiente que são nossos verdadeiros diferenciais competitivos”, reforça Diego Gomes.

Tecnologia de ponta

Com tecnologia alemã, a unidade de Uberaba possibilita metas arrojadas de produtividade e de aproveitamento dos recursos e matéria-prima. Os equipamentos, em sua maioria, são da Krones, tradicional fornecedor da indústria de bebidas. Equipamentos da área quente como Moinho, Tina de Mostura, Tina de Filtração, Cozinhador de Mosto e Recuperação de Energia de altíssima tecnologia foram instalados nessa fábrica. A área fria com sistema de Filtração, Fermentação Dinâmica e Blocos de Válvulas segue o mesmo conceito de modernidade e automação.

De olho no futuro de um mercado cada vez mais segmentado e com um consumidor em busca de produtos premium, a fábrica de Uberaba está equipada com uma sala de brassagem dimensionada também para produção de cervejas especiais. Possui sistema de moagem úmida de grãos e a mosturação é realizada com sistema que contribui para a melhora do teor de oxigênio e aumento da eficiência enzimática

De olho no futuro de um mercado cada vez mais segmentado e com um consumidor em busca de produtos premium, a fábrica de Uberaba optou pelo desenvolvimento de uma sala de brassagem dimensionada também para produção de cervejas especiais. Possui sistema de moagem úmida de grãos e a mosturação é realizada com sistema ultrassônico de vibração, o que contribui para a melhora do teor de oxigênio e aumento da eficiência enzimática. Também está equipada com sistema Combinado de Recuperação de Energia – Pfaduko/Strombolli, resultando no aumento da eficiência térmica.

As adegas de fermentação e maturação receberam um projeto inovador com um sistema de refrigeração otimizado, com bombas de amônia 100 % herméticas, tanque estratificado de solução alcoólica e compressores frigoríficos com inversores de frequência que trabalham em regime de cascata, resultando em maior eficiência energética e segurança operacional. Essa área da fábrica está equipada com tanques com tecnologia de dry-hopping e fermentação dinâmica, além de blocos de válvulas automáticos e construídos com geometria otimizada, possibilitando a redução no consumo de produtos químicos. Todo o projeto mecânico de tubulações, máquinas e equipamentos, e automação de processos foi otimizado e pensado para redução de perdas, manutenção da qualidade (com menor incorporação de oxigênio) nas áreas de processo e envase da cerveja.

Sustentabilidade

Na concepção e definição do projeto aspectos relacionados à produtividade, eficiência, personalização, inovação foram pontos cruciais para a escolha das tecnologias empregadas na planta industrial. Muitos outros podem ser elencados, mas a sustentabilidade foi um tema fundamental nas decisões, tendo a eficiência energética em destaque. Segundo dados apresentados pela Mayekawa, fornecedor do Sistema de refrigeração da fábrica de Uberaba, para cada litro de cerveja produzida no Brasil, atualmente, a indústria cervejeira consome entre 7 a 12 kWh/hl de energia elétrica, variando de acordo com a produção e a linha de produtos de cada empresa.

Eletricidade é, portanto, um insumo fundamental na produção cervejeira, e que pode resultar custos muito elevados quando não observados as boas práticas de operação. Um sistema de refrigeração adequado contribui significativamente para a economia de energia na planta, uma vez que a refrigeração é vital para a produção e a qualidade final do produto e, justamente por estar em funcionamento durante todo o tempo de produção, acaba sendo o maior consumidor de energia.

A fábrica de Uberaba foi concebida e construída com o objetivo de reduzir ao máximo a geração de resíduos, utilizando com eficiência os materiais e bens naturais, como água e energia. Utiliza biomassa como matriz energética, aumentando a eficiência da geração e reduzindo impactos ambientais. O projeto civil contemplou também ações de economia de energia, como: uso de lâmpadas de LED, que diminui o consumo de energia em 3 vezes; Iluminação natural das linhas de envase e áreas de processo; utilização de ventilação natural na área de fabricação; utilização de aquecedor solar para aquecimento da água dos banheiros e vestiários; sistema de ar condicionado com unidades de expansão direta por serpentinas resfriadas com água gelada; isolamento térmico no teto, sendo esse um recurso utilizado em 90% da fábrica, evitando que o ambiente não esquente e conserve mais os produtos e o conforto térmico para os colaboradores. Além disso, um tanque de 10 milhões de litros foi instalado para armazenar a água tratada proveniente da água da chuva. É a chamada Água de Reuso, usada para lavar a fábrica, descarga etc.

Os investimentos em tecnologia e em um projeto inovador permitem à fábrica de Uberaba atingir a marca de 3,3 litros de uso de água para cada litro de cerveja, um resultado alcançado apenas por cervejarias de alto padrão de produção e referência internacional.

O Grupo Petrópolis vai aplicar os projetos ambientais existentes em outras unidades também em Uberaba. Um deles é o Projeto AMA – Área de Mobilização Ambiental, realizado nas escolas. Além disso, terá ações socioambientais com a comunidade, com plantio e cuidado de árvores.

Fábrica já nasceu com ampliação

Inaugurada há alguns meses, a fábrica de Uberaba já começa a receber novos investimentos para ampliar sua capacidade de produção. Uma quinta linha de envase vai aumentar a capacidade de produção da unidade de 8,5 milhões para 11,4 milhões de hectolitros por ano, um investimento de R$ 135 milhões. Além desse valor, a empresa também planeja investir no estado, em 2021, mais R$ 95 milhões em frota, revendas, trade, marketing e novos negócios, somando assim um total de R$ 230 milhões.

“A infraestrutura para ampliação já existe, a região de Uberaba tem água de excelente qualidade e a fábrica já possui uma logística muito avançada”, Marcelo Sá

A unidade, atualmente, conta com duas linhas de produção em funcionamento. A terceira linha começou a operar no dia 11/12 e a quarta linha começa a funcionar no início de 2021. A ampliação vai adicionar 9,4 mil m² no terreno da fábrica, que hoje funciona em uma área de mais de 108 mil m². A quinta linha está prevista para começar a funcionar em setembro de 2021.

Marcelo de Sá, diretor executivo do Grupo Petrópolis, comenta: “Nossa fábrica de Uberaba já nasceu ampliada, em agosto deste ano. Percebemos um potencial de crescimento ainda maior para 2021 e já realizamos um novo investimento. A infraestrutura para a ampliação já existe, a região de Uberaba tem água de excelente qualidade e a fábrica já possui uma logística muito avançada. Teremos a maior fábrica do Grupo Petrópolis em Uberaba”.

Veja mais: vinhosvinícolasespumantessucos, cafés, cervejas

Siga-nos nas Redes Sociais:

Linkedin Instagram Youtube Facebook 

Deixe seu comentário