A saúde engarrafada

Consumidores buscam cada vez mais bebidas e alimentos com ingredientes naturais, que promovam benefícios e bem estar. E a indústria não para em busca de inovações

| THAIS MARTINS |

Uma pesquisa da Mintel deste ano aponta que 38% dos entrevistados estão interessados em bebidas com benefícios adicionados por meio de ingredientes naturais. Esta é uma tendência que vem evoluindo, como mostram os últimos relatórios da empresa de pesquisas de mercado. “Mintel Sucos de Fruta – Brasil”, de junho de 2015, contou com 39% de aceitações por sucos e bebidas de frutas como grande fonte de nutrição, ex. vitamina C. Já o estudo “Alimentação Saudável – Tendências – Brasil”, de dezembro de 2016, teve 36% dos respondentes de acordo com a afirmação “minha expectativa é que os produtos incluam algum benefício de saúde, como menos calorias, mais vitaminas etc”, e 88% a favor de comer alimentos fortificados com vitaminas do que tomar suplementos. “Hábitos de Consumo de Snacks – Brasil”, de março de 2017, revela que 44% têm interesse em consumir alimentos fortificados com benefícios nutricionais (com adição de proteínas, vitaminas, fibras etc) e 38% são adeptos aos lanchinhos/ snacks com benefícios funcionais (melhoram a concentração, dão mais energia etc).

Na visão da nutricionista clínica, ortomolecular e esportiva, Thaís Verdi, cada indivíduo tem necessidades nutricionais diferentes, bem como digestibilidade e aceitação. “O consumo de verduras, legumes e frutas contempla facilmente as quantidades ideais de vitaminas, minerais, antioxidantes e fibras que um ser humano precisa. Porém, no dia a dia, as bebidas funcionais e snacks saudáveis entram como opções de lanches intermediários, pré ou pós treino por sua praticidade, substituindo os alimentos in natura que não podem ser carregados por falta de refrigeração, manuseio, entre outras dificuldades.”

E a indústria tem investido intensamente, trazendo opções como sucos enriquecidos com fitosterois para diminuir o colesterol, bebidas com colágenos para melhorar as articulações de atletas, entre outras inúmeras opções.”Os antioxidantes são os queridinhos por possuir compostos capazes de retardar ou inibir a oxidação de lipídios, ácidos nucléicos ou outras moléculas através da sua atividade inibitória na iniciação ou propagação de reações de oxidação interligadas. Outro destaque é o fitonutriente, que possui compostos como antiocinas, fenóis e flavanóides, incorporadas a cada dia nas bebidas funcionais com o objetivo de prevenir e tratar patologias. A contra indicação seria a dosagem e digestibilidade, que pode alterar a flora microbiana, provocando uma hipermeabilidade intestinal”, reforça a nutricionista.

A indústria Oferecer produtos que garantam saúde e bem estar para o consumidor por meio das soluções de seus parceiros da indústria alimentícia. Este é o compromisso da Vogler Ingredients. “Hoje o consumidor não compra somente por preço ou marca, ele precisa confiar no produto. Essa confiança vem pela leitura do rótulo e conhecimento dos ingredientes que esse produto contém. Definido como ‘clean label’, a tendência para os próximos anos são produtos com ingredientes que o consumidor tenha conhecimento de sua origem e benefícios para saúde”, aponta a gerente do segmento de bebidas da Vogler, Diana Moura de Lima.

Presente na última edição da Food Ingredients South America, a Vogler apresentou produtos focados para a indústria de alimentos, destacando aplicações para o mercado de saudabilidade. Entre os protótipos desenvolvidos pelo time de P&D da companhia, estavam bebidas, pães e picolés proteicos, bebidas e geleias com fibras transparentes, crispies de soja, todos feitos com ingredientes como pectina, alginato, proteínas de soja e do soro do leite, chocolate sem lactose e 100% cacau, stevia e corantes naturais. “Nossas soluções prezam pela redução de açúcar; colorir bebidas e alimentos sem adição de corantes, com produtos à base de frutas ou vegetais; acréscimo de colágeno, fibras, proteínas e extratos naturais, como o extrato de café verde (energia), passiflora (relaxante), acerola (alto poder de vitamina C), entre outros”, pontua a gerente.

Um dos destaques da Vogler na FISA foi a proteína clear, que agrega 14g de proteína na porção de 350 ml. “Também fomos contemplados com o segundo lugar na categoria Ingrediente Funcional Mais Inovador, na premiação FI Innovation Awards, principal reconhecimento nacional da indústria de ingredientes, produtos e suplementos alimentícios, que aconteceu durante a feira. Junto com o nosso parceiro CHR Hansen, apresentamos a linha FruitMax, uma inovação com ingredientes naturais que colorem naturalmente”, destaca Diana.

A WNutritional, fabricante da linha Life Mix de sucos e chás funcionais, conta com um time de médicos e nutricionistas para desenvolver produtos com nutrientes essenciais para uma alimentação balanceada: ingredientes naturais, sem adição de açúcar e com embalagens cartonadas, que preservam as propriedades sem adicionar qualquer tipo de conservante nos produtos.”Nossa ideia foi adaptar o que já é consumido pela população adicionando nutrientes que temos dificuldade de absorver no dia a dia, afinal o mercado está exigindo itens realmente saudáveis. Nos últimos anos, apesar da crise, o setor cresceu, enquanto as bebidas açucaradas e de menor qualidade cairam”, diz o CEO, Daniel Feferbaum.

Na linha kids, a WNutritional preza pelo crescimento físico e mental da criança, levando para a mesa dos pequenos um suco 100% cálcio, vitamina D e Ômega 3 (DHA). Já na linha adulta, a Life Mix de Baixa Caloria tem o intuito de evitar doenças como osteoporose: cálcio, vitamina D em um suco de baixo índice glicêmico, rico em fibras e que pode ser consumido, inclusive, por diabéticos. Na linha de chás, a Life Mix Boa Forma é antioxidante e rica em fibras, ajudando a melhorar a função do intestino e trazendo mais saciedade para o consumidor.
Ao contrário do CEO da WNutritional, o gerente de produtos da Funcional Drinks, Flavio Santiago Peluque, não acredita que o mercado de bebidas funcionais tem futuro no Brasil. “A legislação é arcaica e não consegue acompanhar a evolução da indústria, do consumo e não deixa margem para o desenvolvimento de produtos inovadores, como vemos nos Estados Unidos e Europa. Se os órgãos trabalhassem em conjunto com as empresas, teríamos um fortalecimento da indústria, consumo e criação de novos empregos, projetando nosso país no cenário econômico mundial”.

A companhia é detentora do Power Bull Energy Drink, um energético com diferencial em relação aos concorrentes por utilizar a cafeína em nanopartículas. “Não falta criatividade para o P&D brasileiro, mas sim liberdade para desenvolver. Se tivéssemos incentivos, acredito que as tendências mundiais partiriam mais do Brasil do que de outros países, pois somos criativos em tudo que nos propomos a fazer. O mercado deste tipo de bebida enfrenta uma concorrência bem agressiva e até um tanto desleal, com muitos aventureiros que entram e saem do setor, promovendo apenas ‘bagunça’ no segmento. No caso da categoria de Energy Drinks, não é possível fazer muitas inovações, pois a legislação em vigor não permite que use novos ingredientes que tragam algum diferencial ao produto, além da troca de sabores”, revela Peluque.

Preocupada em oferecer bebidas que ajudam na hidratação e fornecem uma parte dos nutrientes que o indivíduo precisa consumir diariamente, a Refrix possui um portfólio diversificado, como a Água de Coco Vittal, com vitamina C, potássio e outros sais minerais provenientes da fruta; o Bom Chá Vittal, que segue o conceito de 0% de açúcar, livre de conservantes, vitamina C, um nutriente com ação antioxidante; e o Energético V12, disponível em garrafa PET de 2 litros, com taurina, cafeína e vitaminas do complexo B (B2, B3, B5, B6 e B12).

A grande sacada da empresa é possuir um departamento de terceirização e desenvolvimento de marcas para explorar novas oportunidades. “Neste modelo de atendimento, já elaboramos bebidas com BCAA (aminoácidos essenciais, substância com propriedade de desenvolvimento muscular muito consumido por praticantes de atividades físicas), bebidas com colágeno, sucos 100% naturais, diversos sabores de chá zero calorias, energéticos com cafeína natural, entre outros”, explica o gerente de marketing da Refrix, Fabio Henrique Mouro.

Presente no mercado de bebidas saudáveis há mais de dez anos, a Famiglia Zanlorenzi, indústria da marca Campo Largo, fez um grande investimento nos últimos dois anos: expandiu seu parque fabril, trazendo tecnologia na produção e nas embalagens e, com isso, ampliou sua linha de produtos de sucos integrais e funcionais, para a categoria de chás. “Estamos atentos aos movimentos internacionais e, por isso, lançamos em 2018 a primeira Kombucha com distribuição nacional. O produto já está estabelecido em países como Estados Unidos e Canadá e possui grande potencial de crescimento no Brasil”, acredita o diretor presidente, Giorgeo Zanlorenzi.

A bebida milenar, consumida em países como a China e Rússia há mais de 2 mil anos, é obtida por um processo lento e delicado, em que o chá verde passa por uma fermentação natural, transformando-se em uma bebida viva, rica em probióticos, naturalmente gaseificada, saborosa e refrescante. Além de ser de baixa caloria, a Kombucha é antioxidante, antiinflamatório natural, auxilia na digestão e no emagrecimento e proporciona muita energia e disposição. Outro diferencial é a utilização de cúrcuma, com poder antiinflamatório; hibisco e cranberry, com ação diurética e antioxidante; e o Matcha, limão e gengibe, termogênicos.

“A Kombucha tem um processo artesanal na sua produção e a Campo Largo respeita cada etapa, característica da própria bebida. O que nos diferencia é a equipe técnica altamente capacitada para este tipo de produção e os laboratórios de P&D e Qualidade que asseguram um rigoroso controle do padrão do produto. O mercado nacional ainda está em formação, porém já é uma categoria estabelecida em outros países. Junto com a crescente preocupação com saudabilidade que vem acontecendo no Brasil, acreditamos que esta seja uma categoria que veio para ficar”, finaliza Zanlorenzi.

Deixe seu comentário