Dogma passa a aceitar bitcoin no pagamento das cervejas

Com o rápido crescimento de transações ao redor do mundo, empresas brasileiras se inspiram e passam a aceitar bitcoin no pagamento de produtos de consumo

 

Usar bitcoin nas transações do dia a dia, e não apenas como reserva de valor ou investimento, já é uma realidade em muitos países e a tendência começa a despontar no Brasil.

A Cervejaria Dogma divulga que, a partir do próximo dia 02 de Novembro/21, todas suas unidades físicas aceitarão bitcoin como forma de pagamento. Isso mesmo, os clientes poderão pagar o consumo no bar com esse ativo.

“Já faz bastante tempo que a grande maioria das transações comerciais são feitas virtualmente, sem a necessidade de manipulação de dinheiro físico. Aceitar bitcoin é aumentar o leque de opções de pagamentos dos nossos clientes, além de nos adiantarmos em uma prática que será muito comum no comércio varejista nos próximos anos” – afirma Leonardo Satt, cofundador da Cervejaria Dogma.

Com o aumento considerável da migração de clientes de bancos para corretoras financeiras por conta da baixa taxa da Selic, os brasileiros descobriram os benefícios da diversificação em investimentos que não a poupança ou CDI/CDB e, por conta disso, vêm aderindo cada vez mais ao bitcoin. “Mesmo que muitos ainda o considerem apenas como reserva de valor, nós, da Dogma, acreditamos no seu potencial como moeda de troca, visto que já existem muitos profissionais trabalhando no desenvolvimento da lighting network, e que, em breve, com a atualização da Taproot, teremos um benefício nas taxas de transação. E, quem sabe, logo iremos utilizá-lo como unidade de conta.” – explica Leonardo.

A cervejaria ainda preparou uma promoção especial de lançamento: quem pagar com bitcoin entre os dias 02 e 07 ganha 10% de desconto.

Um pouco sobre o bitcoin

Com pouco mais de 12 anos de existência, o bitcoin já é negociado pela maior parte do mundo, e em países como El Salvador, que recentemente passou a adotar o bitcoin como moeda oficial juntamente com o dólar americano, o que tem impulsionado cada vez mais pessoas, que até então eram desbancarizadas, a poderem participar do mercado com uma moeda forte. Já nos Estados Unidos, Los Angeles possui mais de 700 caixas eletrônicos de bitcoin, ao passo que Nova York é uma das cidades que mais aceitam bitcoin no mundo, com 101 pontos de aceitação.

 

Siga-nos nas Redes Sociais:

Linkedin Instagram Youtube Facebook 

 

Deixe seu comentário