Peterlongo aposta nos tintos

Vinícola aproveita o inverno para mostrar diversidade de rótulos

Há quem prefira os tintos mais clássicos como o Cabernet Sauvignon, Merlot ou Tannat. Outros optam por variedades consideradas novas no mercado brasileiro como o Teroldego, Touriga Nacional e o Carmenère. Mas o que é comum entre a maioria é a escolha de rótulos tintos para aquecer a estação mais fria do ano. E para atender os mais variados paladares, a Vinícola Peterlongo, de Garibaldi (RS), oferece opções nas linhas Armando Memória e Terras.

Para quem praticamente só elaborava espumantes e passou a colecionar prêmios também com seus vinhos tintos, a Peterlongo já demonstra que os pesados investimentos feitos de 2015 para cá começam a dar os primeiros resultados. A alquimia entre o enólogo francês, Pascal Marty, winemaker da vinícola, com a enóloga responsável técnica, Deise Tem-Pass, não somente colocou no mercado a nova versão desses vinhos como também recebeu a aprovação de experts internacionais.

O Armando Memória Teroldego, por exemplo, acaba de conquistar Medalha de Ouro no 9º Brazil Wine Challenge, além de Grande Ouro no Concurso Internacional de Vinos y Espirituosos na Espanha e Ouro na Grande Prova de Vinhos do Brasil, onde o Armando Memória Touriga Nacional obteve Medalha de Prata. Ambos os rótulos, receberam Menção Honrosa no 34º International Wine Challenge realizado em Londres.

Terras, a linha de entrada de vinhos finos da Peterlongo, possui sete rótulos, a maioria tintos, entre eles destaque para os brasileiros Cabernet Sauvignon, Merlot e Tannat e o chileno Carmenère. Estes são vinhos de médio e rápido consumo, com teor alcoólico moderado. Na linha Armando Memória, é possível provar de cinco varietais: Cabernet Sauvignon, Merlot, Tannat, Touriga Nacional e Teroldego, todos com passagem por barrica francesa. As opções variam de R$ 37 a R$ 99.

Fotos: Jeferson Soldi e Bruno Zulian

Deixe seu comentário