South Blossom utiliza lúpulo em flor da Serra da Mantiqueira

O malte é importado – da Alemanha, mas o lúpulo é brasileiro. Isso mesmo, o novo rótulo da Cervejaria Dádiva traz um pouquinho mais do terroir nacional, com lúpulo fresco da Serra da Mantiqueira. Colhido, transportado e adicionado ao processo de fabricação em menos de 12 horas, a South Blossom é uma American Blond Ale produzida com lúpulo paulista.

O lúpulo Mantiqueira nasceu de uma manifestação botânica espontânea na região da estância climática de São Bento do Sapucaí, região de serra no Estado de São Paulo, com altitude a mais de 1600 metros acima da Serra do Mar, que se mantém basicamente do turismo, mas que também se preocupa com o desenvolvimento da economia agrícola sustentável.

Ainda que conhecido pelo seu potencial aromático, até então, o lúpulo Mantiqueira havia sido utilizado com o principal objetivo de trazer amargor à cerveja. Esta será a primeira vez em que o lúpulo será utilizado fresco, em flor, em uma produção, justamente para otimizar o seu potencial aromático e ressaltar ainda mais as características de frescor à receita.

A South Blossom (ABV 5,2% / IBU 22) traz a proposta de uma cerveja leve e refrescante, de suave cremosidade, obtida por uma pequena quantidade de trigo e aveia adicionada à sua formulação. Com levedura levemente frutada, a Cervejaria Dádiva se empenhou para que o rótulo pudesse exalar aromas mais frescos possíveis.

O resultado? Victor Pereira Marinho, Diretor Industrial e cervejeiro da Dádiva explica que ainda não se sabe. “Esta é a primeira vez em que o lúpulo Mantiqueira é utilizado desta maneira, e a maturação só será finalizada em alguns dias. A cerveja será uma surpresa”.

O pequeno lote de South Blossom – serão apenas 1600 litros – ainda está em produção. Nesta semana o lote receberá nova adição de lúpulo em flor para um segundo Dry Hopping, devendo chegar ao mercado a partir de 20 de abril.

Deixe seu comentário